Camaquã
17°C
Camaquã
17°C
Preocupação

Prefeitura atrasa pagamento de creche privada e crianças podem ficar sem vagas na Zona Leste de Porto Alegre

Pais foram informados por meio de um comunicado do estabelecimento que não tem condições de manter os alunos, caso o executivo municipal não normalize a situação.
Paulo Ronaldo Costa/CMPA 
Paulo Ronaldo Costa/CMPA

Um grupo de pais foi surpreendido após um comunicado emitido nesta semana pela creche Mundo da Imaginação que fica na Zona Leste de Porto Alegre. Segundo relatos obtidos pela reportagem da Acústica FM, o estabelecimento privado informou que a prefeitura de Porto Alegre tem atrasado o pagamento do serviço há dois meses. Como não há matrículas suficientes na rede pública, o executivo municipal realiza esse processo de compra de vagas particulares. Ao menos 20 crianças de até quatro anos podem ficar sem atendimento.

“A minha filha já está há dois anos na creche e daí aconteceu isso agora, e todos os pais já foram informados. Só que a creche não está sendo paga e já teve pais que já compraram uniforme e pagaram o material escolar. De uma hora para outra eles não vão mais receber as crianças pela falta de pagamento. Todo mundo trabalha, a minha filha é autista, ela precisa de creche, mais terapia. É um trabalho em conjunto”, relata uma mãe, a dona de casa, Monique Jalvenia de 31 anos.

A auxiliar de limpeza Fernanda Freitas Alves, de 34 anos, em conversa com a reportagem, relata que arrumou um emprego há pouco tempo. O filho tem quatro anos de idade, e ela precisa do apoio da creche para poder trabalhar.

“Estou há menos de um ano aqui no serviço. Estou apavorada. Eu não sei o que fazer. A escola comunicou isso ontem de noite, às sete horas, e sabe, eu não sei o que fazer. Eu estou apavorada, estou apavorada”, repetiu emocionada.

Danielle Silveira conta que vai começar na atividade de cuidadora nesta semana. No entanto, com o comunicado da creche, também não sabe o que fazer. Ela ressalta também que prima pela qualidade da educação do filho.

“O objetivo também é para que ele tenha uma educação de qualidade, porque precisam para o desenvolvimento deles também. Não é só para a gente trabalhar. O meu filho não falava nada. Ele foi desenvolver a fala tudo na creche. Hoje em dia, que vai fazer um ano. Ele ficou dois meses na creche, ele virou outra criança, já desenvolveu muita coisa”, observa Danielle.

Katiane Alves da Silva, que é educadora-assistente, relata que a prefeitura, procurada pelos pais, não dá retorno.

“Só dizem que não têm retorno de quando vão pagar. Eu mesmo digo, eu trabalho o dia inteiro, não tem com quem deixar minha filha e ela precisa, tá na escola, então está tudo sendo um grande problema”, desabafa.

A Defensoria Pública do RS oficiou a prefeitura de Porto Alegre cobrando explicações.

O Contraponto( Nota secretaria de Educação)

Em relação ao pagamento das escolas privadas das quais o município compra vagas escolares, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) informa que no final de 2023 houve uma substituição do sistema de pagamentos, unificando todo o processo da Prefeitura. A substituição gerou o período este período de adaptação, que resultou em algumas mudanças nas datas do pagamento às contratadas. No momento, a Smed realiza uma força-tarefa para dar maior celeridade aos processos de pagamentos, com o objetivo de que ainda na primeira quinzena de fevereiro os pagamentos estejam normalizados.

Cabe ressaltar que não há problema orçamentário de nenhuma natureza, tratando-se única e exclusivamente de um período de transição de sistemas, que em breve será regularizado.