Search
Camaquã
21°C
Camaquã
21°C
Tarifa mais cara

Pedágio mais caro do Brasil: novas tarifas da Ecosul já estão em vigor

Manifestação contra o aumento ocorre nesta quarta na BR-116 em Camaquã
Foto: Reprodução/Redes Sociais
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Entraram em vigor nesta segunda-feira (01), as novas tarifas de pedágio cobradas pela Ecosul no sul do Rio Grande do Sul. Os valores causaram revolta em usuários, que utilizaram as redes sociais, para manifestar o desagrado com as cobranças.

Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp tocando aqui!

Trata-se de um aumento de 28,9%, aprovado pela Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT). Com estes novos valores, as praças de pedágio da concessionária, se tornaram as que possuem o preço mais elevado das rodovias federais do país.

Quem trefega pela BR-116, já percebe o encarecimento dos valores nas praças de Cristal, Pelotas e Capão do Leão. Já os motoristas que transitarem pela BR-392, entre Rio Grande e Canguçu, também estão sendo afetados.

Confira os valores das novas tarifas de acordo com publicação no Diário Oficial da União:

– Carros – R$ 19,60

– Automóveis 3 Eixos – R$ 29,30

– Automóveis 4 Eixos – R$ 39,10

– Caminhão 2 Eixos/Ônibus – R$ 39,10

– Caminhão 3 Eixos – R$ 58,70

– Caminhão 4 Eixos – R$ 78,20

– Caminhão 5 Eixos – R$ 97,80

– Caminhão 6 Eixos – R$117,40

Mas o aumento dos pedágios gerou tanta revolta que uma série de manifestações estão sendo previstas para este mês de janeiro, nos municípios afetados. A primeira delas, acontecerá nesta quarta-feira (03), justamente no ponto de início da concessão da Ecosul: Camaquã.

A manifestação está prevista para iniciar às 15h, junto ao Posto Sim, nas proximidades do trevo de acesso norte a Camaquã.

“Não podemos e não vamos aceitar que a nossa região seja ainda mais sufocada e prejudicada pelo aumento abusivo dos valores dos pedágios e com contratos injustos e imorais, que prejudicam o nosso desenvolvimento”, disse o comunicado divulgado pela equipe organizadora.

Ainda conforme a divulgação do evento, trata-se de um ato apartidário, que deve contar com o apoio de toda a comunidade.

“O objetivo é realizamos um protesto pacífico, ordeiro, mas extremamente necessário, para que a imprensa estadual/nacional e as autoridades federais competentes, que podem fazer algo para frear estas propostas, enxerguem o absurdo que está acontecendo neste canto do Rio Grande”, diz a divulgação.

Entre as entidades camaquenses que organizam a manifestação, estão a Associação Comercial e Industrial de Camaquã (ACIC), o Sindicato Rural de Camaquã e Arambaré, o Sindilojas Costa Doce, a Associação dos Municípios da Costa Doce, Federasul, além das Frentes Parlamentares, da Metade Sul e Conclusão das Obras de Duplicação da BR-116.

Tags: Cidades, Costa Doce, Economia, Região, Rio Grande do Sul, Trânsito