26/04/2021 14h38 - Atualizado em 26/04/2021 14h56

Abril Laranja: como adotar um animalzinho corretamente em Camaquã

Mês é considerado período de conscientização em defesa dos animais
Por: Valesca Luz / Acústica FM - Fotos: Priscila Lampe / Divulgação / Arca
Abril Laranja: como adotar um animalzinho corretamente em Camaquã

No mês de alerta para a prevenção contra a crueldade animal, o programa Papo com Batom recebeu a voluntária da Associação Protetora aos Animais de Rua Camaquã (Arca), Ana Paula Freitas. Durante entrevista, Ana detalhou como adotar um animalzinho em Camaquã.

> Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp tocando aqui!

O candidato a receber um cãozinho precisa preencher um formulário, passar por uma avaliação sobre as condições de cuidado ao animal até a conclusão do processo. O bichinho também passa por banho e pode ser entregue na casa do adotante ou aguardar uma visita no Canil. Maiores informações pelo WhatsApp (51) 996713360. Conheça alguns dos bichinhos em fotos abaixo.

São mais de 300 animais entre a Arca e Canil municipal esperando um lar. Além da adoção, é possível colaborar com a atividade voluntária doando materiais de construção, para ampliação do projeto “Cãodomínio”, valores em dinheiro, cobertores e ações individuais. A Associação ainda precisa de um administrador voluntário para as redes sociais. Segundo a voluntária, animais negros não são preferidos pelos adotantes, consequentemente demoram mais tempo para ganhar um lar. 

Denúncias de maus-tratos podem sem registradas online e anonimamente através do atendimento realizado pela Polícia Civil.

Durante o mês considerado o período de conscientização em defesa dos animais, diversos políticos estão demostrando apoio a ações referentes a causa. Entre as propostas, um projeto de lei protocolado pela Secretária do Trabalho e Assistência Social, ex-deputada estadual no Rio Grande do Sul e ativista na causa animal, Regina Becker Fortunati contra o uso de carroças, está tramitando. O projeto aponta uma redução gradativa das carroças no Estado e ampliar as iniciativas dos municípios na busca de alternativas para a substituição dos Veículos de Tração Animal (VTAs).

Como justificativa, a secretaria descreve as consequências em razão de feridas causadas por equipamentos inadequados, agressões por meio de chicote e outros instrumentos e o mal ferimento dos cascos.

Outro projeto contra a caça esportiva está acontecendo. O PL 5.544/20 proposto pelo deputado Nilson F. Stainsack propõe regulamentar a prática da caça esportiva de animais no Brasil, envolvendo atos de perseguição, captura e abate.

Outra notícia que repercutiu, foi o projeto de lei protocolado pelo deputado Luiz Marenco (PDT), que pretende normatizar a utilização de veículos de tração animal como transporte de carga no Rio Grande do Sul. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gabriel Souza (MDB), que também é médico veterinário, considera a iniciativa construtiva, especialmente nesta legislatura, que deve votar diferentes projetos pela causa animal.

Dentro da discussão, nesta quinta-feira (29) a Assembleia Legislativa realiza o seminário Causa Animal: legislação e políticas públicas protetivas municipais, reunindo especialistas e lideranças para debater os direitos dos animais. A reunião será online e transmitida pelos canais digitais da assembleia.

Abril Laranja

No mês de alerta para a prevenção contra a crueldade animal, a Assembleia Legislativa está promovendo uma série de ações de conscientização para a defesa dos animais. Entre as iniciativas estão a iluminação do Palácio Farroupilha na cor laranja durante o mês de abril, a escolha do nome de um mascote para representar o Legislativo, a divulgação de uma campanha de incentivo à adoção e também o lançamento de uma cartilha educativa.

Conheça:

Deixar um comentário