02/04/2021 14h46 - Atualizado em 02/04/2021 14h51

Homem que dirigia carreta de Camaquã vira réu por acidente na BR-101 em SC

A motocicleta foi arrastada pelo caminhão, por 32 quilômetros
Por: Camila Mattos/Acústica FM - Foto: Divulgação
Homem que dirigia carreta de Camaquã vira réu por acidente na BR-101 em SC

O Tribunal de Justiça (TJ) de Santa Catarina, confirmou nesta quinta-feira (1º) que o caminhoneiro envolvido no acidente na BR-101 entre Itajaí e Balneário Camboriú, virou réu pelo homicídio de Sandra Aparecida Pereira, de 47 anos, e por tentativa de homicídio do marido dela, Anderson Antôno Pereira, de 49 anos.

Segundo a Justiça, a defesa dele não havia apresentado resposta à acusação feita pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). O homem segue preso e o caso está sob sigilo.

O acidente:

Um casal estava em uma motocicleta que foi arrastada por uma carreta conduzida por um homem de 36 anos. O motociclista precisou escalar a cabine do caminhão e se pendurar na porta para pedir ao caminhoneiro que parasse o veículo. A mulher de Anderson caiu na rodovia, foi socorrida e internada, mas morreu no hospital.

O caminhoneiro foi denunciado pela 8ª Promotoria de Justiça de Itajaí em 10 de março.

A audiência:

Caso a defesa designada pelo réu não apresente uma resposta à acusação feita contra ele, a Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina irá indicar um defensor público para atuar no caso.

Segundo o Tribunal de Justiça, somente após a resposta à acusação, realizada pela defesa do réu, que uma audiência de instrução e julgamento será agendada. Nesta oportunidade, vítimas, testemunhas e o réu são interrogados pelo juiz.

Em seguida, o juiz analisa se há prova da materialidade dos fatos e se existem de indícios suficientes para comprovar ou refutar a autoria do crime. Em caso positivo, o juiz determina que o réu seja submetido a julgamento pelo Tribunal do Júri.

Tanta defesa quando acusação podem entrar com recursos. Os processos com réus presos têm prioridade, mas não possuem um prazo determinado para conclusão.

Deixar um comentário