08/03/2021 08h20 - Atualizado em 08/03/2021 08h25

Estado lança campanha de exaltação da força feminina no enfrentamento à pandemia

A campanha é uma demonstração de respeito e solidariedade às mulheres gaúchas
Por: Rafael Varella/Ascom Sedac e Sue Gotardo/Ascom SJCDH
Estado lança campanha de exaltação da força feminina no enfrentamento à pandemia

A pandemia do coronavírus estabeleceu uma realidade extremamente desafiadora para todos no último ano. No universo feminino, o desafio se tornou ainda maior, já que as responsabilidades com a casa e os filhos costumam pesar mais para este segmento.

Pensando nisso, diversas secretarias e órgãos do governo do Estado uniram forças e lançam nesta segunda-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a campanha “Força Feminina”, uma ação transversal e unificada. Promovida pelas secretarias da Cultura (Sedac), Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), Segurança Pública (SSP), Articulação e Apoio aos Municípios (Saam), Trabalho e Assistência Social (Stas), além do programa RS Seguro e Comitê EmFrente, Mulher, a campanha é uma demonstração de respeito e solidariedade às mulheres gaúchas, afetadas pela crise econômica e social causada pela disseminação da Covid-19.

A secretária adjunta da Cultura e mulher trans, Gabriella Meindrad, ressalta que durante todo o mês “teremos a oportunidade de ouvir as vozes femininas que se reinventaram neste um ano de pandemia. Lives e outros eventos vão nos permitir aprender e refletir com muitas mulheres que se destacam, entre elas trans e travestis, cujo desafio é diário”.

Para a secretária de Trabalho e Assistência Social, Regina Becker, “é fundamental elaborar e desenvolver políticas públicas que estimulem o crescimento da participação da mulher como grande potencial transformador da sociedade. Precisamos combater as desigualdades históricas, hoje agravadas pela pandemia com a perda de emprego e renda e o aumento da violência doméstica e do feminicídio, especialmente entre as mulheres mais pobres”.

Ainda de acordo com a secretária, “cabe ao Estado fomentar ações e apoiar iniciativas que potencializem a reconhecida capacidade organizativa e solidária destas mulheres, para que se fortaleçam e se cuidem mutuamente, como sempre tem sido nas infinitas adversidades que lhes caem sobre os ombros”.

A diretora de Políticas para as Mulheres do Estado, Bianca Feijó, reforça o simbolismo em ressaltar a força feminina durante esse período. “Para mim, as mulheres foram as maiores protagonistas durante a pandemia. Não só pela sobrecarga causada pelas responsabilidades domésticas, mas também por sermos maioria na linha de frente no combate ao coronavírus”, reflete. “Mais do que nunca, o Mês da Mulher vem para nos fazer refletir sobre o quanto ainda precisamos avançar na pauta da igualdade de gênero e nos lembrar da força que sempre tivemos para lutar por nossos direitos”, completa.

A campanha “Força Feminina” possibilitará homenagear mulheres que se superaram, se reinventaram neste período desafiador, e que continuam lutando por igualdade de gênero, contra a violência doméstica e contra a misoginia. Além de comemorar o dia 8 de março, a campanha será uma oportunidade para refletir sobre o papel da mulher na sociedade atual.

Força Feminina

A campanha será realizada pelo Instagram (@f_femininars), com a divulgação de fotos e frases, depoimentos de mulheres sobre o que mudou em suas vidas com a pandemia, além de conteúdos que abordem igualdade de gênero, violência doméstica e misoginia.

As mulheres que quiserem participar da campanha podem mandar uma foto usando máscara para o e-mail [email protected].com, informando nome, idade, profissão e uma resposta objetiva para uma das seguintes perguntas: “como eu enfrentei a pandemia?” ou “o que eu enfrentei na pandemia?”. A foto precisa ser tirada em um fundo liso e com a câmera posicionada na horizontal. As histórias começam a ser divulgadas na segunda (8/3).

Deixar um comentário