26/02/2021 09h02 - Atualizado em 26/02/2021 09h07

Preso em São Leopoldo homem condenado por latrocínio em hotel de Nova York em 1999

Criminoso já teve seu nome publicado na Interpol
Por: Lennon Haas / Acústica FM - Foto: Divulgação
Preso em São Leopoldo homem condenado por latrocínio em hotel de Nova York em 1999

Após seis meses de investigação, Operação New York foi desencadeada, no dia de ontem (25), resultando na prisão de um homem de 49 anos de idade, na cidade de São Leopoldo. O artista plástico foi condenado pela morte de um empresário ocorrida em janeiro de 1999 numa suíte do Hotel Waldorf Astoria, na cidade de Nova York, nos Estados Unidos.

A investigação teve início após a Polícia Civil receber a informação de que ele teria vindo para o Rio Grande do Sul. O acusado já teve seu nome publicado na Interpol por ter sido condenado por latrocínio há uma pena de 22 anos de prisão pela morte do empresário paraense.

De acordo com o processo, o preso deixou o hotel e somente depois de 24 horas o corpo da vítima foi encontrado. Segundo o Ministério Público, o preso subtraiu aproximadamente 30 mil dólares, um relógio Rolex, um anel de ouro com pedra de rubi, uma corrente de ouro, um relógio piaget, o passaporte brasileiro, uma passagem para o Brasil e uma bolsa de viagem com pertences da vítima.

O acusado também foi preso em 2002, no começo do processo, mas teve liberdade concedida depois de nove meses preso. Ele estava foragido há nove anos e vivia morando em diversas cidades. Seu mandato era válido até 2023, onde ele ficaria solto pela prescrição do crime cometido.

O preso, que era artista plástico, também trabalhava como modelo e teve uma carreira famosa no Rio de Janeiro, além de investidas como ator da rede Globo, e já circulou por diversos países e vinha de uma família tradicional da cidade de São Leopoldo.

Texto: Polícia Civil RS

Deixar um comentário