14/01/2021 10h33 - Atualizado em 14/01/2021 10h54

Boa notícia: Pedrinho tem alta médica e volta para casa

Em entrevista à rádio Acústica, o pai do menino agradeceu apoio da comunidade
Por: Camila Mattos/Acústica FM - Foto: Tiago Bandasz de Freitas
Boa notícia: Pedrinho tem alta médica e volta para casa

Quem acompanhou ao vivo o programa Primeira Hora desta quarta-feira (13), teve a oportunidade de saber com exclusividade a informação de que Pedrinho realizou o transplante de medula óssea e está em casa. Muito emocionado, Tiago Bandasz de Freitas, agradeceu o carinho e apoio recebido da comunidade Camaquense.

Depois de uma desgastante espera e de inúmeras pessoas não compatíveis, inclusive Tiago e Susana, pais do menino, a boa notícia veio da irmã mais nova. Manuela, de cinco anos, demonstrou nos exames, ter 100% de compatibilidade de medula. Com orgulho, Tiago ressaltou a maturidade encontrada na menina, que de forma clara e objetiva, sabia que a doação salvaria a vida de Pedrinho.

O transplante foi realizado no dia 4 de Setembro, no Hospital Graacc, em São Paulo. Agora, após dois anos de um intenso processo de tratamento, envolvendo internações, medicamentos, preocupações financeiras, dúvidas e angústias, a família pode novamente respirar um pouco mais aliviada.

Tiago reforçou que os cuidados continuam, visando a recuperação completa do organismo do menino e garantindo assim à Pedrinho, a retomada de uma infância saudável e alegre ao lado de familiares e amigos.

Doação de medula - Seja um doador (clique aqui para saber mais)

O Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME) foi criado em 1993, em São Paulo, para reunir informações de pessoas dispostas a doar medula óssea para quem precisa de transplante. Desde 1998, é coordenado pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), no Rio de Janeiro.

Com mais de 4.000 milhões de doadores cadastrados, o REDOME é o terceiro maior banco de doadores de medula óssea do mundo e pertence ao Ministério da Saúde, sendo o maior banco com financiamento exclusivamente público. Anualmente são incluídos mais de 300 mil novos doadores no cadastro do REDOME. O registro americano conta com quase 7,9 milhões e o alemão, com cerca de 6,2 milhões. Ambos foram desenvolvidos e são mantidos com recursos primordialmente privados.

O Centro de Transplantes de Medula Óssea (CEMO/INCA) é responsável pela coordenação técnica e a Fundação do Câncer pela operação do REDOME, conforme publicado na Portaria nº 2.600, de 21 de outubro de 2009, do Ministério da Saúde.

Deixar um comentário