25/11/2020 10h18 - Atualizado em 25/11/2020 10h26

BM presta homenagem após um ano da morte de policial que atuou em Arambaré

Marciele Renata dos Santos Alves é a primeira mulher a morrer em serviço desde 1986
Por: Valesca Luz / Acústica FM - Foto: Brigada Militar / Arquivo / Acústica FM
BM presta homenagem após um ano da morte de policial que atuou em Arambaré

Nesta quarta-feira (25) completa um ano da morte da policial, Marciele Renata dos Santos Alves de 28 anos, atropelada em perseguição policial na cidade de Sério. Marciele que atuou em Arambaré durante a Operação Golfinho de 2018, é a primeira mulher a morrer em serviço desde 1986. A Brigada Militar presta homenagem a soldado nesta quarta.

Segundo a polícia, os bandidos haviam cometido o roubo de três camionetes Hilux na cidade de Venâncio Aires, no dia 25 novembro de 2019, durante o tiroteio, três criminosos foram mortos e um ficou ferido. Marciele foi atropelada durante o confronto. Ela chegou a ser socorrida, mas acabou não resistindo aos ferimentos.

A soldado era natural de Cachoeira do Sul e servia na cidade de Santa Cruz do Sul, onde fazia parte da Força Tática. Ela foi uma das primeiras mulheres a ingressar no Pelotão de Operações Especiais e cursava mestrado em Fisioterapia. Além do serviço de policiamento ostensivo, ela também participou de serviços sociais que foram promovidos pela Brigada Militar em Arambaré.

A Polícia Civil, Brigada Militar e Polícia Rodoviária Federal, divulgaram notas sobre a morte da policial gaúcha: “criminosos agiram de forma covarde”, diz a nota da PRF.

Deixar um comentário