21/10/2020 10h54 - Atualizado em 21/10/2020 10h55

Eduardo Leite rebate declaração de Bolsonaro sobre vacina chinesa

Governador do RS defendeu “análise eminentemente técnica” sobre definição da imunização
Por: Kevin Oswaldt / Acústica FM Foto: Vick Renner / Arquivo / Acústica FM
Eduardo Leite rebate declaração de Bolsonaro sobre vacina chinesa

O governador do Rio Grande do Sul rebateu as declarações do presidente Jair Bolsonaro, que disse que não irá comprar a vacina Coronavac, que está sendo desenvolvida pela farmacêutica Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. A manifestação de Eduardo Leite ocorreu através do Twitter, na manhã desta quarta-feira (21).

“A definição sobre a inclusão de vacinas contra o COVID-19 no Programa Nacional de Imunização deve ser feita com análise eminentemente técnica (e não política!), observando viabilidade, segurança e agilidade para atender a população”, declarou Leite.

 

Nesta terça-feira, o governador havia saído satisfeito após uma reunião com o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e outros governadores. Na oportunidade, o representante do Governo Federal assinou um protocolo de intenções para adquirir 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, que está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

 

Manifestação de Bolsonaro

Apesar da garantia dada pelo seu Ministro da Saúde, Bolsonaro classificou a Coronavac como “vacina chinesa de João Dória”. “Para o meu Governo, qualquer vacina, antes de ser disponibilizada à população, deverá ser comprovada cientificamente pelo Ministério da Saúde e certificada pela Anvisa. O povo brasileiro não será cobaia de ninguém”, disse o presidente no Facebook, antes de concluir: “Não se justifica um bilionário aporte financeiro num medicamento que sequer ultrapassou sua fase de testagem. Diante do exposto, minha decisão é a de não adquirir a referida vacina”.

Deixar um comentário