13/10/2020 09h24 - Atualizado em 13/10/2020 09h24

Roubo de veículos cai 39,8% em setembro pela primeira vez no RS

Resultado fica abaixo de 500 casos em toda a série de contabilização
Por: Secretaria de Segurança Pública - Foto: Rodrigo Ziebell / SSP
Roubo de veículos cai 39,8% em setembro pela primeira vez no RS

A sequência de reduções recordes nos indicadores criminais do Rio Grande do Sul, observada desde o ano passado, ganhou uma nova marca em setembro. Pela primeira vez desde que a Secretaria da Segurança Pública (SSP) iniciou a contabilização, em 2002, o número de roubos de veículos no Estado ficou abaixo de 500 casos em um mês. Foram 496 registros, 39,8% menos do que no mesmo período de 2019, que teve 824. É como se durante os 30 dias de setembro apenas um veículo tivesse sido levado por criminosos em cada um dos municípios gaúchos, e ainda restaria uma cidade sem qualquer delito do tipo. Frente ao pico de ocorrências, em setembro de 2015, quando 2.126 condutores tiveram seus automotores roubados, o total atual representa redução de 77%, ou 1.630 casos a menos.

Embora seja possível apontar certa influência do distanciamento social de prevenção à Covid-19, o resultado inédito foi alcançado justamente no mês de maior abertura, em que praticamente todas as atividades que estiveram restritas no início da pandemia já haviam sido retomadas a pleno. Cenário que destaca o êxito do trabalho ininterrupto das forças de segurança e do planejamento estratégico do RS Seguro, a partir da análise mensal realizada pela Gestão de Estatística em Segurança (GESeg).

O roubo de veículos, ao lado dos crimes violentos letais intencionais (CVLI) e do roubo a pedestre, compõe o grupo de indicadores fixos de avaliação nos 23 municípios priorizados pelo programa.

A queda histórica de setembro também contribuiu para aprofundar a diminuição no acumulado desde janeiro de 2020, na comparação com igual período do ano passado. A soma de ocorrências em nove meses baixou 24,6%, de 8.658 para 6.525 – é o menor total para o intervalo desde 2002, primeiro ano da série histórica, que teve 6.389 roubos de veículos.

Embora seja possível apontar certa influência do distanciamento social de prevenção à Covid-19, o resultado inédito foi alcançado justamente no mês de maior abertura, em que praticamente todas as atividades que estiveram restritas no início da pandemia já haviam sido retomadas a pleno. Cenário que destaca o êxito do trabalho ininterrupto das forças de segurança e do planejamento estratégico do RS Seguro, a partir da análise mensal realizada pela Gestão de Estatística em Segurança (GESeg).

O roubo de veículos, ao lado dos crimes violentos letais intencionais (CVLI) e do roubo a pedestre, compõe o grupo de indicadores fixos de avaliação nos 23 municípios priorizados pelo programa.

A queda histórica de setembro também contribuiu para aprofundar a diminuição no acumulado desde janeiro de 2020, na comparação com igual período do ano passado. A soma de ocorrências em nove meses baixou 24,6%, de 8.658 para 6.525 – é o menor total para o intervalo desde 2002, primeiro ano da série histórica, que teve 6.389 roubos de veículos.

Na direção oposta, os roubos de veículo caíram 51% no mesmo período: foram 13.302 entre janeiro e setembro de 2016 ou 6.777 casos a mais que o total dos nove meses de 2020. Dessa forma, com frota maior e delitos em baixa, a taxa de roubos de veículo, que há cinco anos era de 208 casos para cada 100 mil automotores, despencou para 93 a cada 100 mil – uma retração de 55%.

Mais do que ampliar a sensação de segurança nas ruas e estradas do RS, a retração nos delitos contra condutores também se reflete em benefício econômico para os gaúchos. Ainda em janeiro, depois de o Estado ter encerrado 2019 com 5 mil roubos de veículo a menos do que no ano anterior, o Sindicato das Empresas de Seguros Privados, de Resseguros e de Capitalização (SINDISEGRS) divulgou estimativa de redução média de 12% no preço dos seguros automotivos. Com o aprofundamento na baixa dos crimes contra motoristas, é possível que esse desconto seja ainda maior, uma vez que o peso da violência na composição do valor final é de cerca de 50%, conforme o sindicato.

Entre os principais fatores responsáveis pela redução recorde, além das ações estratégicas planejadas pelo RS Seguro e executadas pelas forças de segurança, está a ampliação do número de câmeras de videomonitoramento e cercamento eletrônico à disposição do Departamento de Comando e Controle Integrado (DCCI) da SSP. Há um ano, o governo gaúcho assinou a ordem de implantação de 525 novas câmeras e 30 salas de monitoramento em 36 municípios. O investimento de R$ 18 milhões foi viabilizado com parte dos R$ 67 milhões repassados ao RS por emenda parlamentar da bancada federal gaúcha no Congresso, com contrapartida de R$ 6,3 milhões do Executivo estadual.

Deixar um comentário