25/05/2020 17h54 - Atualizado em 25/05/2020 17h54

Custo do hectare de arroz teve alta de 13,34% sobre a safra passada, aponta Irga

O estudo toma por base o cultivo mínimo, ponderado segundo os sistemas de irrigação
Por: Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Foto: Embrapa/Governo do Tocantins
Custo do hectare de arroz teve alta de 13,34% sobre a safra passada, aponta Irga

Alcançou R$ 64,70 o custo médio ponderado para produção da saca de arroz em casca de 50 quilos na safra 2019/2020 no Rio Grande do Sul, de acordo com levantamento da Seção de Política Setorial do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) divulgado nesta segunda-feira (25/5). O custo por hectare ficou em R$ 10.078, considerando média de produtividade de 7.788,26 quilos por hectare (kg/ha) ou 155,77 sacas/ha (média RS há três safras).

O estudo toma por base o cultivo mínimo (predominante na lavoura de arroz do Rio Grande do Sul), ponderado segundo os sistemas de irrigação (mecânica diesel, mecânica elétrica e natural – por gravidade). Os dados foram coletados em lavouras nos municípios de Uruguaiana, Cachoeira do Sul, Pelotas e Santo Antônio da Patrulha, com preços médios das seis regiões orizícolas do Estado.

Na safra passada, o levantamento apontou custo de R$ 58,54 para a saca de 50 quilos de arroz em casca. Em relação ao custo por hectare, a safra 2018/2019 ficou em R$ 8.892,62, com produtividade média de 151,9 sacas/ha (média RS há três safras). Em comparação com a safra passada, o custo por hectare cultivado registrou alta de 13,34%.

Os itens que mais subiram na safra 2019/2020, na comparação com o cultivo anterior, foram aguador (55,59%), terra arrendada (55,59%), secagem (55,57%), administrador (55,55%), aviação (53,71%) e água (51,73%).

Alguns insumos tiveram redução de valores, como transportes internos (-65,15%), juros sobre custeio (-48,64%), fretes (-22,76%) e combustíveis, tanto nas operações de lavoura (-14,16%) como na irrigação (-14,54%).

Os itens que tiveram maior aumento estão relacionados com o preço do arroz, que teve valorização de 51,73% no período. O combustível, no entanto, teve queda no preço, refletindo na diminuição dos custos relacionados.

Clique aqui para acessar o levantamento completo.

Deixar um comentário