21/05/2020 11h10 - Atualizado em 21/05/2020 11h10

Universo paralelo e esfriamento do Sol; As descobertas anunciadas pela NASA nas últimas semanas

A última vez em que um fenômeno parecido ocorreu com o Sol foi entre 1650 e 1715
Por: Lennon Haas / Acústica FM - Foto: Universidade do Hawaii/Reprodução
Universo paralelo e esfriamento do Sol; As descobertas anunciadas pela NASA nas últimas semanas

A NASA tem anunciado importantes descobertas e pautas nos últimos dias. Entre elas, estão a possível existência de um universo paralelo e o “esfriamento” do sol.

Um possível universo paralelo está sendo cogitado após cientistas da NASA terem detectado evidências durante experimento na Antártica. Os especialistas realizavam um experimento com a Antena Impulsiva Transiente da Antártica (Anita), com o objetivo de detectar um "vento" de partículas de alta energia do espaço, mas acabaram sendo surpreendidos por um ruído vindo da Terra.

Isto seria perfeitamente normal, afinal, estas partículas, conhecidas como neutrinos subatômicos, tem a capacidade de passar completamente pela Terra devido à baixa energia e massa próxima a zero. Porém, uma variante de alta energia é interrompida pela matéria sólida do nosso planeta. Diante deste fato, chegou-se a conclusão que estas partículas poderiam estar vindo do espaço, mas, após a análise dos dados coletados pela antena, os cientistas descobriram que estas partículas estavam vindo da neve, o que é um comportamento completamente desconhecido na história da ciência e que contraria as leis da Física.

Peter Gorham, um dos principais pesquisadores do projeto Anita, afirmou que a explicação “mais simples” é de que o big bang pode ter formado dois universos: o nosso e outro que teria regras opostas da Física que conhecemos, ou seja, que o tempo anda para trás.

Os pesquisadores estão impactados com a descoberta e prometem estudá-la a fundo.

Outra pauta apresentada pela NASA nas últimas semanas é o “esfriamento” do Sol. O órgão se manifestou oficialmente após o astrônomo Tony Phillips apresentar a teoria que o Sol está se apagando e que isto deve gerar efeitos fortíssimos na Terra.

A NASA confirmou a teoria do astrônomo e explicou que o Sol está entrando em um período mais silencioso, emitindo menos energia. O fenômeno é conhecido como "Grande Mínimo Solar".

A última vez que algo assim aconteceu foi entre 1650 e 1715, em período conhecido como "Pequena Era do Gelo" no hemisfério norte.

O impacto na vida da Terra deve ser muito menor desta vez, devido ao aquecimento global, que tem mantido as temperaturas do planeta altas.

Deixar um comentário