14/05/2020 09h07 - Atualizado em 14/05/2020 09h08

PRF inicia Operação de Segurança nas rodovias gaúchas nesta quinta

Vítimas de acidentes podem se infectadas pela Covid-19 no ambiente hospitalar
PRF inicia Operação de Segurança nas rodovias gaúchas nesta quinta

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia, nesta quinta-feira (14), a Operação Nacional de Segurança Viária. Engajada no Movimento Maio Amarelo, a instituição aposta na ostensividade de suas equipes em pontos críticos de acidentalidade para coibir condutas perigosas e assim reduzir o número de acidentes nesses locais.

Até a próxima segunda-feira (18), 150 trechos de 10 km de extensão, com maior índice de acidentalidade, considerando o período de 11/03 a 30/04, receberão o reforço de equipes PRFs para as ações, prioritariamente preventivas e educativas. No Rio Grande do Sul a operação será focada em três pontos críticos, com reforço de policiamento na BR 386 (em Nova Santa Rita), BR 116 (em Caxias do Sul) e BR 470 (em Bento Gonçalves), os três trechos de rodovias federais gaúchas que estão entre os 150 com maior acidentabilidade no país.

A ideia é fazer com que motoristas percebam os potenciais riscos à segurança oferecidos nesses trechos que, de acordo com dados registrados pelo órgão, somam maior número de acidentes graves e mortes. A estratégia reforça o tema do Maio Amarelo: “Perceba o risco. Proteja a Vida”, alinhada com a campanha da PRF que faz o alerta de “em tempos de pandemia, se for sair de casa, respeite as leis de trânsito”.

Condutas como usar o celular enquanto dirige, realizar ultrapassagens indevidas e combinar álcool e direção estarão no foco dos agentes pois são condutas que podem gerar acidentes e vítimas graves. O uso do capacete e do cinto de segurança são práticas capazes de minimizar a gravidade das lesões em vítimas de acidentes trânsito.

Com a população consciente dos riscos que atitudes contrárias às leis e o trânsito podem oferecer, os acidentes podem ser evitados, reduzindo o número de feridos e assim disponibilizando leitos para as vítimas do coronavírus. Além disso, vítimas de acidentes podem se tornar potenciais infectados com a COVID-19 em razão da exposição ao vírus no ambiente hospitalar.

Deixar um comentário