24/04/2020 10h56 - Atualizado em 24/04/2020 14h46

"Interferência política no âmbito da Polícia Federal", diz Moro ao anunciar demissão do Ministério da Justiça

Saída ocorre após exoneração de Maurício Valeixo do cargo de diretor-geral da Polícia Federal
Por: Lennon Haas / Acústica FM - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
"Interferência política no âmbito da Polícia Federal", diz Moro ao anunciar demissão do Ministério da Justiça

O ministro da Justiça, Sergio Moro, pediu demissão do cargo. A saída foi anunciada em pronunciamento na manhã desta sexta-feira (24).

Moro largou a carreira de juiz federal para assumir o cargo de ministro no governo do presidente Jair Bolsonaro. Na época, ele afirmou estar aceitando o cargo por estar “cansado de tomar bola nas costas”.

O pedido acontece após a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Leite Valeixo. Ele era o braço direito do até então ministro da Justiça, e atuou junto com Moro na Operação Lava Jato, em Curitiba. 

Sergio Moro afirmou que não há causa para demissão do diretor-geral e que a decisão de Bolsonaro foi uma clara interferência política no trabalho da Polícia Federal . O ex-ministro também disse que não foi cumprida a "carta branca" que lhe foi prometida pelo presidente da República.

"Falei ao presidente que seria uma interferência politica [trocar Valeixo sem qualquer causa]. Ele [Bolsonaro] disse que seria mesmo", afirmou.

O principal indicado para assumir o cargo de diretor-geral da PF é Alexandre Ramagem, chefe da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Ele é conhecido por ser um dos homens de confiança do presidente Jair Bolsonaro. 

Ainda não há confirmação de quem será o novo ministro da Justiça.

Deixar um comentário