27/03/2020 15h50 - Atualizado em 27/03/2020 15h50

Presidente da Câmara lamenta ausência do Legislativo no Comitê de Gestão de Crise

Paulinho Bicicletas alega que não foi incluído no grupo de trabalho criado pela prefeitura
Por: Kevin Oswaldt / Acústica FM Foto: Arquivo / Acústica FM
Presidente da Câmara lamenta ausência do Legislativo no Comitê de Gestão de Crise

O presidente da Câmara de Vereadores de Camaquã, Paulinho Bicicletas, lamentou a ausência do Legislativo nas reuniões do Comitê de Gestão de Crise, instaurado pela prefeitura de Camaquã. Em entrevista concedida à Rádio Acústica FM, na tarde desta sexta-feira (27), o gestor declarou que nenhum ofício foi enviado para o Legislativo sobre a criação do grupo de trabalho.

De acordo com o decreto que criou o comitê, somente a Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Camaquã faz parte do grupo de trabalho. O presidente do Legislativo alega que a ação é ilegal: “Sem nenhuma vaidade, mas a Câmara só pode ser representada pelo seu presidente ou alguém designado por ele”, explicou.

Para Paulinho, o comitê não tem legalidade e a comissão de saúde pode responder pelo “crime” de usar o nome do Poder Legislativo ilegalmente. De acordo com o presidente do Legislativo, o Conselho de Ética da câmara pode tomar providências em relação ao caso.

O Comitê de Gestão de Crise é composto por membros titular ou suplente dos seguintes órgãos:

- ACIC (além de um representante da Indústria, Comércio e Serviços)

- Associação dos Arrozeiros de Camaquã

- Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Camaquã

- Conselho de Governança do Município de Camaquã

- Conselho Municipal de Saúde

- Consórcio Intermunicipal Centro-Sul

- Hospital Nossa Senhora Aparecida (Funbeca)

- Secretaria Municipal da Saúde

- Sindicato Rural de Camaquã

- Sindicato dos Trabalhadores do Comércio

- Sindicato dos Trabalhadores Rurais

- Sindilojas Costa Doce

Deixar um comentário