02/03/2020 09h58 - Atualizado em 02/03/2020 10h34

Há 24 anos, os Mamonas Assassinas deixavam milhões de fãs em luto

Banda foi fenômeno nos anos 90 e revolucionou a forma de fazer música no país
Por: Lennon Haas / Acústica FM - Foto: Divulgação
Há 24 anos, os Mamonas Assassinas deixavam milhões de fãs em luto

No dia dois de março de 1996, há exatos 24 anos, acontecia um acidente aéreo que parava o país, vitimando todos os integrantes do fenômeno musical e midiático, Mamonas Assassinas. Com sucesso meteórico, a banda deixou uma imensa saudade nos fãs e revolucionou a forma de fazer música no país.

Os Mamonas Assassinas, que inicialmente se denominavam Utopia, ficaram conhecidos por misturar o rock com diversos outros gêneros populares, como brega, pagode, sertanejo e forró, com letras bem humoradas que seguem até hoje no imaginário popular. A banda gravou somente um disco, intitulado ‘Mamonas Assassinas’, lançado em junho de 1995, sendo premiado com disco de diamante.

Com sucesso até os dias atuais, a banda Mamonas Assassinas durou somente um ano e meio, tempo suficiente para quebrar diversos recordes como: recorde brasileiro de vendas num só dia (25 mil exemplares em 12 horas), disco de estreia mais vendido da história da música brasileira e recorde mundial de disco com maior número de vendas em menor tempo (‘Mamonas Assassinas’, com 3 milhões de cópias, em menos de um ano). Apesar de suas letras ácidas e politicamente incorretas, a banda também fez enorme sucesso entre as crianças dos anos 90, devido as fantasias utilizadas durante as apresentações (Chapolin Colorado, presidiários, perucas e etc.) e seu jeito irreverente de cantar.

O acidente

No dia dois de março de 1996, o jato Learjet, modelo 25D, prefixo PT-LSD, que carregava a banda após um show em Brasília, chocou-se contra a Serra da Cantareira, numa tentativa de arremetida. O acidente matou todos os cinco integrantes da banda.

Horas antes da tragédia, Júlio, tecladista da banda, relatou a um amigo cabelereiro que havia sonhado que o avião caía.

O enterro, no dia quatro de março, foi transmitido em rede nacional e, em algumas escolas, as aulas foram canceladas. Mais de 65 mil fãs estiveram no Parque das Primaveras, em Guarulhos, São Paulo, para dar o último adeus à banda.

Dinho, Bento, Samuel, Sérgio e Júlio deixaram saudades em milhões de fãs e seus legados persistem até hoje. Com seu jeito bem humorado, e hits como 'Robocop Gay' e 'Pelados em Santos', a banda mudou a forma de fazer música no país e, até hoje, traz sorrisos aos rostos dos brasileiros.

Deixar um comentário