24/02/2020 15h37 - Atualizado em 24/02/2020 16h25

Falta de informação causou demora no translado do corpo de modelo a Camaquã

Corpo de Vanessa Vargas Ribeiro chegou na manhã desta segunda-feira (24) ao Estado
Por: Valesca Luz / Acústica FM - Foto: Valesca Luz / Acústica FM
Falta de informação causou demora no translado do corpo de modelo a Camaquã

O corpo da modelo camaquense Vanessa Vargas Ribeiro, 33 anos que foi morta no México demorou 23 dias para chegar a Camaquã. A advogada da família, Elvira Vargas, explicou durante entrevista que o principal motivo da demora foi a falta de informação sobre o caso.

Segundo Elvira, o consulado brasileiro no México foi consultado, no entanto somente informações sobre a burocracia foram fornecidas: “financeiramente o Brasil não nos ajudou com nada”, afirma.

Conforme a advogada e também prima da vítima, a ajuda financeira só foi possível por meio de uma procuradora de justiça do país, por se tratar de uma caso de feminicídio. O corpo não tinha sido liberado devido ao processo de investigação da polícia do México.

Ainda durante a entrevista, Elvira relembrou a convivência com a modelo: “eu quero recordar a Vanessa brincando, essa alegria infantil dela”.

Confira:

Deixar um comentário