15/10/2019 09h48 - Atualizado em 15/10/2019 15h15

Ministério Público dá 24h para prefeitura explicar ato de entrega de máquinas

Órgão apura possível improbidade administrativa por violação do princípio da impessoalidade
Por: Rodrigo Vicente - Foto: Gil Martins/Rádio Acústica FM
Ministério Público dá 24h para prefeitura explicar ato de entrega de máquinas

O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) abriu um procedimento para analisar se houve eventual improbidade administrativa praticada pelo prefeito de Camaquã, Ivo de Lima Ferreira, em ato de entrega de máquinas no município na última segunda-feira (14). O MP-RS vai apurar se houve violação do princípio da impessoalidade. O órgão deu 24 horas para o município se manifestar sobre o caso.

A denúncia foi feita pelo vereador Luciano Delfini (PTB) no dia 10 de outubro, em documento direcionado à Promotoria de Justiça da Comarca de Camaquã. No documento, Delfini aborda diversos fatos que indicariam, segundo o texto, atos que classificaram como promoção pessoal. É citado pelo vereador o uso dos canais públicos do município, o decreto em que alterava o horário do funcionalismo, a demora na entrega dos equipamentos até a realização do evento, entre outros pontos apontados como irregulares.

A Prefeitura Municipal de Camaquã foi notificada oficialmente no início da tarde desta segunda-feira (14), às 12h19, conforme documento eletrônico assinado pela promotora de justiça, Camile Balzano de Mattos. Conforme o procurador-chefe do município, Fabiano Ribeiro, a prefeitura foi notificada cerca de 15 minutos antes do evento, e pediu prorrogação do prazo. 

Deixar um comentário