08/10/2019 17h19 - Atualizado em 08/10/2019 17h19

Em nota, IFSul Camaquã diz que não vai fechar

Medidas de economia e desbloqueio de verba permitem continuidade das atividades
Por: Kevin Oswaldt / Acústica FM Foto: Arquivo / Acústica FM
Em nota, IFSul Camaquã diz que não vai fechar

Em nota divulgada nesta terça-feira (8), o IFSul Camaquã garante que não irá fechar. O documento fala sobre a situação orçamentária que o campus enfrentou após o bloqueio de 37,1% do orçamento, anunciado pelo Governo Federal em junho.

Diante disso, o IFSul Camaquã precisou realizar medidas de economia, com a redução no quadro de terceirizados e a dispensa de estagiários. No início de outubro foi anunciado o desbloqueio de 19,7% do orçamento de custeio, atingindo 80% do valor previsto para o ano. A nota destaca que o fechamento do ano letivo é possível graças a essas medidas tomadas: "Nestes momentos tensos e delicados o campus ficou mais forte", diz o documento.

O IFSul Camaquã ainda declarou que o instituto está pronto para receber novos 184 alunos, divididos em cinco cursos, que ingressarão no IFSul em 2020: "Estamos pronto a qualificar mais ainda o nosso "Mundo de Oportunidades"", declara a nota.

Confira na íntegra:

"NOTA OFICIAL

O IFSul-Camaquã NÃO fecha!

O IFSul-Camaquã está cada vez mais forte, muito forte!!! 

No dia 2 de outubro, o câmpus Camaquã teve 19,7% do orçamento de custeio desbloqueado, atingindo o percentual de 80% do previsto e que norteou todo o planejamento para 2019. Este percentual permite, graças às medidas tomadas pela gestão quando do bloqueio e à compreensão e empenho da comunidade escolar, que o ano letivo de 2019 seja cumprido em sua integralidade. O IFSul-Camaquã não fechará! 

Em junho de 2019, após o anúncio do bloqueio de 37,1% do orçamento, medidas drásticas e penosas precisaram ser tomadas para que o câmpus mantivesse suas atividades básicas, visando minimizar ao máximo a chance de centenas de estudantes interromperem seus estudos. Exclusão de postos de trabalho terceirizados, redução de estagiários(as), diminuição de viagens de estudantes para participação em eventos e visitas técnicas e suspensão de alguns contratos de serviços, foram algumas ações conduzidas e que impactaram negativamente no que nossa escola costuma oferecer à comunidade. 

Não havendo qualquer certeza de que haveria desbloqueio, assim como, se houvesse, em que momento ocorreria e em que percentual, a sensação de insegurança atingiu fortemente não somente a gestão do câmpus, responsável direta por todas as responsabilidades ligadas ao funcionamento da escola, mas também de forma muito negativa, impactou 100 servidores(as), 660 estudantes e suas famílias. 

Mas foi justamente nestes momentos tão tensos e delicados que o câmpus ficou mais forte. Afinal, a certeza que a comunidade escolar tem de que a educação pública, gratuita de qualidade comprovada oferecida pelo IFSul-Camaquã ao longo de seus 9 anos de história não poderia sucumbir ao cenário imposto, fez com que muitas ações fossem mantidas e que, de forma mais do que ousada, inclusive se planejasse o futuro do câmpus, com novos cursos, mais vagas e aumento no número de oportunidades de formação oferecidas. 

Que a educação pública seja alvo de mais investimentos, e que a sociedade tenha a compreensão de que sendo gratuita, terá mais chance de atender a maior parcela da população e que sendo de qualidade, desenvolverá mais e melhor a nação, buscando incessantemente a igualdade, a equidade, a justiça social, pela oportunidade de formação educativa a todos. 

Que estes últimos meses de 2019 e que o ano de 2020 nos tragam a tranquilidade e as condições necessárias para que se possa trabalhar com a qualidade desejada pelos(as) servidores(as) e esperada pelos(as) estudantes e suas famílias. 

O vestibular está aí, e nossa escola está pronta para receber mais 184 estudantes, em 5 cursos, do ensino médio ao superior! 

Estamos prontos a qualificar mais ainda o nosso “Mundo de Oportunidades”! 

O IFSul-Camaquã está cada vez mais forte!  

Prof. Tales Amorim 

Diretor-geral do IFSul-Camaquã  

Camaquã- RS, em 8 de outubro de 2019"

Deixar um comentário