13/08/2019 15h49 - Atualizado em 13/08/2019 15h49

Seminário em Camaquã abordará questões relacionadas às mulheres

“Despertando Consciências” acontece nos dias 05 e 06 de setembro
Por: Assessoria de Comunicação - Foto: Divulgação
Seminário em Camaquã abordará questões relacionadas às mulheres

A Secretaria Especial da Mulher, do Trabalho e Desenvolvimento Social, estará realizando nos dias 05 e 06 de setembro o 1º Seminário POR ELAS, que esta sendo elaborado e organizado pela Rede de Atenção à Mulher (RAM), que é coordenado pela Psicóloga Laís Bazzo.

Tendo como tema “Despertando Consciências”, o seminário irá ocorrer no auditório da secretaria, onde estará sendo realizada palestras sobre a violência contra a mulher, além de feiras e mostras que estarão expostas no pátio interno da secretaria.

As inscrições poderão ser feitas pela internet, clicando aqui, na inscrição deverá conter seu nome, telefone, e-mail e a instituição que você representa, maiores informações ligue para (51) 3671.5463.

Na quinta-feira (05/09), após a abertura oficial que será às 8h30min, haverá a palestra “Um sorriso a cada luta”, com Bárbara Penna, na parte da tarde terá a palestra da psicóloga Ivete Vargas, com o tema “O ciclo da violência: da agressão verbal ao Feminicídio”. Já parte final do dia, a Delegada Regional Carla Kuhn, irá palestrar sobre os “Desafios e perspectivas para a proteção integral da mulher”.

E na sexta-feira, com início às 8h30min, estará sendo feito uma mesa redonda, tendo como principal tema, “Conquistando espaços: O que isto muda?”, com a participação da prefeita de Cristal , Fábia Richter; Ana Cláudia Lesnik, vereadora de Dom Feliciano; presidente da OAB, Roberta Magalhães; delegada de polícia, Vivian Sander Duarte; diretora do SENAC, Denise Sefrin; promotora de Justiça, Fabiane Rios e Maria Eunice Silva, diretora administrativa do Hospital Nossa Senhora Aparecida.

Na parte da tarde, o assunto principal será “Uma mudança de paradigmas: Família e escola na construção de relações de paz”, com a participação de Juliana Menezes, Marlete Reiznautt, Rose Matzembacher, Kaone Holz e Mayana de Oliveira. Dentro da programação haverá depoimentos sobre os temas debatidos.

Este seminário esta dentro do projeto de trabalho da RAM, tendo total apoio do Executivo Municipal, que busca ajudar as mulheres camaquenses em busca de seus direitos, evitando assim a violência contra a mulher.

Violência contra a mulher

É definida como qualquer ação ou omissão baseada no gênero, que cause morte, dano ou sofrimento físico, sexual ou psicológico à mulher, tanto na esfera pública quanto na privada.

A violência contra as mulheres é mais presente do que se imagina, aqui e em qualquer parte do mundo, não conhece barreiras geográficas, econômicas e sociais, e acontece cotidianamente. São formas de violência contra a mulher: violência física, psicológica, sexual, patrimonial e moral.

Ciclo da violência

A violência contra a mulher funciona como um sistema circular que apresenta, em geral, três fases.

- Aumento de tensão: As injúrias e ameaças feitas pelo agressor criam uma sensação de perigo na vítima.

- Ataque violento: O agressor maltrata fortemente a vítima, fisicamente e/ou psicologicamente.

- Lua de mel: O agressor envolve a vítima de carinho, desculpando-se e prometendo mudar.

Serviços prestados pela RAM

A Rede de Atenção à Mulher, oferta para as mulheres camaquenses grupo de apoio psicossocial, orientação jurídica, escuta humanizada, e escuta humanizada na Delegacia de Polícia através da Sala das Margaridas.

O que fazer em caso de violência contra a mulher

- Ligue 180 para denunciar

- Registre boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia

- Em situação de perigo, ligue para o número 190

- Procure a RAM – Rede de Atenção à Mulher ou o CREAS – Centro de Referência Especializada em Assistência Social.

Deixar um comentário