15/05/2019 08h27 - Atualizado em 15/05/2019 08h27

Leilão de veículos do governo do Estado tem arrecadação superior a R$ 400 mil

Dos 286 lotes colocados à venda, 274 itens foram arrematados no certame promovido pela Secretaria de Planejamento
Por: Seplag - Foto: Divulgação
Leilão de veículos do governo do Estado tem arrecadação superior a R$ 400 mil

Atraindo grande número de interessados, o primeiro leilão com parte dos veículos que foram retirados da frota do governo do Estado, realizado nesta terça-feira (14/5), registrou receita de R$ 446.970,00.

Dos 286 lotes colocados à venda, 274 itens foram arrematados no certame promovido pela Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag). Entre os lotes negociados, a arrecadação ficou em média 73% acima da avaliação inicial.

Na primeira etapa do leilão, que ocorreu no auditório do Centro Administrativo Fernando Ferrari, em Porto Alegre, foram vendidos 89 dos 91 veículos considerados recuperáveis, entre automóveis de passeio, caminhonetes, caminhões, motocicletas e reboques. Nesta fase, a arrecadação registrou R$ 200,8 mil.

Dos 184 veículos classificados como irrecuperáveis (sucatas), cuja etapa era destinada exclusivamente aos Centros de Desmanches de Veículos Automotores, Comércio de Peças Usadas e Reciclagem de Sucata (CDV) ou empresas de fora do Estado que estejam credenciadas para atuar na atividade de desmontagem, foram arrematados 175 lotes, somando R$ 207 mil.

O leilão organizado pela Subsecretaria Central de Licitações (Celic) compreendia ainda um conjunto de 11 lotes entre máquinas pesadas, equipamentos e outros materiais. Ao todo, 10 itens foram arrematados, com receita de R$ 38,5 mil. A Celic deverá organizar novos leilões para os próximos meses com itens da frota desativada no início do ano como medida do governo para controlar os gastos.

A Seplag superou em quase 80% a meta estabelecida para os primeiros meses da gestão. Até o fim de março, foram desativados 1.789 veículos, o que representou 9,5% da frota do governo do Estado. Com a medida, a secretaria alcançou redução média ao redor de R$ 1,5 milhão por mês nos gastos com manutenção e combustível.

Deixar um comentário