07/05/2019 10h33 - Atualizado em 07/05/2019 10h35

Campanha de vacinação contra gripe segue até 31 de maio

Até o último dia deste mês os grupos abrangidos pela campanha ainda podem ser vacinados
Por: Júlio Souza / Ascom Câmara de Vereadores de Camaquã Foto: Valesca Luz / Acústica FM
Campanha de vacinação contra gripe segue até 31 de maio

Até o dia 31 de maio os grupos considerados de risco – pessoas acima dos 60 anos, doentes crônicos e professores, gestantes e crianças entre seis meses e seis anos de idade – podem receber as doses da vacina contra a gripe, nas Unidades Básicas de Saúde de todo o estado.

O Rio Grande do Sul tem cerca de 1,8 mil unidades de saúde que devem receber mais de 3,7 milhões de pessoas para serem imunizadas. A meta é alcançar 90% delas.

Ampla proteção

A vacina protege contra três tipos de vírus Influenza: A (H1N1), A (H3N2) e B. A dose deste ano foi atualizada com subtipos diferentes nas cepas H3N2 e B, por isso deve ser repetida mesmo por quem já se protegeu na temporada passada. A vacina é produzida com vírus mortos, sem risco de causar infecção.

A imunização leva em torno de 15 dias para gerar proteção ao organismo, por isso a importância de se vacinar no período da campanha, antes da chegada do inverno, época do ano de maior circulação da doença.

Postos de saúde de Camaquã estiveram abertos no sábado, dia 04 de maio, para imunização das pessoas que estão dentro do grupo abrangido pela campanha que segue até o dia 31 de maio.

Serviço

Grupos que podem receber a vacina:

Crianças de 6 meses até menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias)

Gestantes (em qualquer tempo gestacional)

Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto)

Pessoas com 60 anos ou mais

Povos indígenas aldeados

Trabalhadores de saúde dos serviços públicos e privados

Presos e funcionários do sistema prisional

Professores de escolas públicas e privadas

Portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais*

*Doenças crônicas: respiratórias, cardíacas, renais, neurológicas ou hepática; diabetes; imunossupressão; obesidade; transplantados ou pessoas com trissomias.

Conforme o Centro Estadual da Vigilância em Saúde (Cevs), o Rio Grande do Sul registrou cinco casos de gripe (Influenza) neste ano. De acordo com a SES, o RS mantém um rigoroso controle sobre os casos de gripe em seus territórios.

Deixar um comentário