13/04/2019 11h53 - Atualizado em 13/04/2019 11h53

“Cabe a governantes dar condições para o agronegócio se desenvolver mais”, diz Leite na posse da Farsul

Gedeão Pereira tomou posse na noite desta sexta-feira
Por: Secom RS Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
“Cabe a governantes dar condições para o agronegócio se desenvolver mais”, diz Leite na posse da Farsul

Em concorrido evento, com presença de empresários do setor rural, agropecuaristas e autoridades, Gedeão Pereira tomou posse na noite desta sexta-feira (12/4) como presidente da Federação da Agricultura do Estado (Farsul). 

O veterinário já vinha atuando como interino no cargo desde a morte de Carlos Sperotto, em 2017, e agora assume a função de defender, ao lado de 30 diretores também empossados, a atividade de produtores rurais gaúchos no triênio 2019-2021. 

“Nós estamos a serviço do agronegócio brasileiro e gaúcho. Agora, ainda mais. Contem com a gente”, disse Gedeão em seu pronunciamento de posse. 

Em razão de o agronegócio ser responsável por cerca de 40% do PIB do Rio Grande do Sul, o governador Eduardo Leite, presente ao evento, ressaltou a importância da entidade para o estado. 

“Da porteira para dentro, o trabalho está sendo bem executado. Cabe a nós, governantes, dar as condições de competitividade para que o agronegócio se desenvolva cada vez mais”, afirmou Leite na cerimônia realizada na sede da Farsul, em Porto Alegre.

Agenda de desenvolvimento

Para alcançar essa meta, Leite apontou os três pilares da agenda de desenvolvimento do agro que está colocando em prática: “Melhorar a logística para o escoamento. Para isso, já lançamos concessões de estradas e outras virão em rodovias e hidrovias; reduzir a burocracia, principalmente de licenças; e reduzir a tributação para dar competitividade ao nosso agronegócio”, disse o governador. 

Presente na posse, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, confirmou que o governo federal, citando especialmente palavras do presidente Jair Bolsonaro, tem entre suas principais estratégias a de incentivar produção primária. “Nossa missão é ajudar o agro a se desenvolver e continuar sendo o principal motor de desenvolvimento do Brasil”, resumiu Salles.

Deixar um comentário