15/03/2019 13h43 - Atualizado em 15/03/2019 13h44

Polícia Civil prende homem que estuprou idosas em Vacaria

Criminoso abusou sexualmente de pelo menos oito mulheres
Por: Polícia Civil
Polícia Civil prende homem que estuprou idosas em Vacaria

A Polícia Civil prendeu nessa quinta-feira (14), em Palhoça, Santa Catarina, um homem de 42 anos suspeito de abusar sexualmente de pelo menos oito mulheres, em Vacaria. Na ação, um mandado de prisão preventiva foi cumprido, com apoio da Polícia Civil de Santa Catarina. Os estupros ocorreram em sua maioria no ano de 2018, sendo que dois casos são de 2014 e 2015. As vítimas são em sua maioria mulheres idosas.

Segundo os delegados Vitor Fernando Boff e Carlos Alberto Defaveri as investigações tiveram início em meados de 2018 quando começou uma onda de estupros na cidade de Vacaria. “Só em 2018 foram nove casos com o mesmo modo de atuação, número este que extrapola, e muito, a incidência histórica deste tipo de crime, que é hediondo e de extrema gravidade. Dois casos ainda estavam em aberto, um que ocorreu em meados de 2014 e outro em 2015”, relataram os delegados.

A fim de dar atendimento especial a todos estes casos, a Polícia Civil criou uma Força Tarefa composta por policiais do Posto Policial Para a Mulher, da Delegacia de Polícia da Criança e do Adolescente e da Delegacia de Polícia de Vacaria.

Os delegados ressaltaram que o modo de atuação do indivíduo era sempre o mesmo. “Ele ingressava em residências onde moravam idosas ou mulheres com algum tipo de especialidade, as quais moravam sozinhas, e cometia violência sexual e física contra elas”, explicaram os delegados. Pela surpresa das investidas, por acontecer no escuro e em razão de ameaças e violência, as vítimas não conseguiam ver o rosto do criminoso.

“Para ingressar nas casas o suspeito pulava cercas, retirava miolo de fachaduras, violava janelas ou portas, chegando até a ‘pescar’ as chaves com o tapete”, acrescentaram Boff e Defaveri. A maioria dos casos ocorreu zona sudeste de Vacaria, nos bairros Fátima, Cristal, Planalto, Jardim Toscano, Petrópolis, essencialmente residenciais, de classe média, na madrugada, entre a uma e cinco da manhã.

Ao longo da investigação, dentre as diversas diligências que foram realizadas, a Polícia Civil apurou o uso de uma bicicleta, por parte do suspeito. “Imagens de uma imagem de câmera de monitoramento em uma residência, próxima a um dos locais, foram analisadas e obtida a informação. O indivíduo teria estacionado uma bicicleta barra circular, pulado uma cerca de ferro alta e ingressado na casa”, revelou Defaveri. Dezesseis homens foram investigados e inquiridos. “Material genético também foi obtido de vários desses suspeitos para exame comparativo de DNA, mas os resultados eram sempre negativos ao das vítimas”, complementaram os delegados.

Certas vítimas apenas procuraram a Polícia Civil algum tempo depois, traumatizadas e constrangidas pelos fatos. Em meados de janeiro deste ano, uma determinada prova foi obtida, que individualizou o suspeito dos demais. “Tratava-se de um pintor, que também realizava trabalhos de jardinagem, morava em Vacaria e tinha uma bicicleta semelhante àquela da imagem”, explicaram os delegados.

Foi colhido material genético deste indivíduo e levado para o laboratório de genética forense. “Com o resultado dos exames, foi encontrado seu material genético em seis mulheres, das nove vítimas estupradas no ano de 2018. O resultado também foi compatível para os dois casos de estupro ocorridos em 2014 e 2015”, acrescentou Defaveri e Boff. Dentre os casos, são as vítimas: uma idosa de 65 anos, vítima em 2014, uma mulher de 47 anos, vítima no ano de 2015,uma mulher de 52 anos, vítima de estupro em meados de agosto de 2018, duas idosas, de 78 e 83 anos, abusadas em setembro 2018, outra mulher de 52 anos vítima do abuso em outubro de 2018 e outras duas idosas, de 60 e 67 anos, vítimas de estupro ocorridos em dezembro de 2018.“Não se descarta a possibilidade de outros três casos, ocorridos também em 2018, terem sido praticados pelo suspeito, o que segue sendo apurado pela Polícia Civil”, ressaltaram os delegados.

Com a identificação do indivíduo, foi representada pela sua prisão preventiva sendo decretada pela 2ª Vara Criminal de Vacaria. “Desde então o estuprador em série desapareceu de Vacaria. Informações indicavam que ele estaria em Palhoça, Estado de Santa Catarina. Por duas vezes os policiais estiveram perto de prende-lo naquela cidade, mas ele conseguia fugir, contando com a dificuldade de ação policial num populoso bairro daquela cidade”, explicaram.

Nessa quinta-feira (14), a Polícia Civil, por meio da Força Tarefa de Vacaria, montada especificamente para o caso, com apoio da Polícia Civil de Santa Catarina, encontrou e prendeu o indivíduo.

Deixar um comentário