11/01/2019 08h45 - Atualizado em 11/01/2019 08h46

Sindicato estima demissão de 200 professores na Ulbra

Nas redes sociais, estudantes realizaram diversas manifestações em apoio aos professores
Por: Kevin Oswaldt / Acústica FM Foto: Divulgação / Ulbra
Sindicato estima demissão de 200 professores na Ulbra

A Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) demitiu cerca de 200 professores. O número é uma estimativa do Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinpro/RS). Em nota divulgada nesta quinta-feira (10), a universidade se limitou a afirmar que está fazendo um “ajuste em seu quadro de professores”, devido à crise enfrentada pelo setor de Ensino Superior.

De acordo com o Sinpro/RS, na próxima segunda-feira (14) haverá uma reunião com a Aelbra, mantenedora da instituição, para esclarecimentos e discussão sobre as demissões e a garantia do pagamento das verbas rescisórias e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) – uma vez que, além dos sistemáticos atrasos salariais, a instituição não tem recolhido regularmente o FGTS de seus empregados.

Nas redes sociais, estudantes realizaram diversas manifestações em apoio aos professores. Várias páginas ligadas aos estudantes, como a Ulbra da Depressão e a Spotted Ulbra, lançaram manifestos e chegaram a divulgar os nomes dos docentes, incentivando os estudantes a mandar mensagens de apoio. Trabalham na Ulbra 1.332 professores na educação superior e 287 professores na educação básica.

As demissões na universidade não atingem apenas professores, no início da semana sindicatos confirmaram que funcionários administrativos também foram dispensados. O número pode chegar a 300 profissionais, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Administração Escolar do Rio Grande do Sul.

Confira a nota emitida pela Ulbra:

"A AELBRA (Associação Educacional Luterana do Brasil), mantenedora da Ulbra, comunica que realizou nesta quinta-feira (10) um ajuste em seu quadro de professores. A medida tem o objetivo de reduzir os impactos causados pela crise que atinge o setor de Ensino Superior nos últimos anos. 

A Instituição afirma que a rotina acadêmica segue normalmente e reforça o compromisso com a qualidade de ensino aos seus mais de 35 mil alunos no Rio Grande do Sul."

Deixar um comentário