Search
Camaquã
25°C
Camaquã
25°C
Ensino

Lista com aprovados em concurso para o magistério é publicada no Diário Oficial do Estado

Piratini projeta mais dois certames entre 2024 e 2025 para preencher o quadro do RS com mais professores
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

O governo do Estado publicou em edição extra do Diário Oficial, na noite de quarta-feira (26/12), a nomeação dos 1.542 servidores que foram aprovados no último concurso público destinado a professores da Rede Estadual.

A seleção, cujo edital de abertura 1/2023 foi lançado em março, era destinada para as áreas de Educação Básica, Educação Profissional e Educação Indígena com as vagas distribuídas entre as 30 Coordenadorias Regionais de Educação. O resultado consta também no site do Instituto AOCP. Confira os nomeados aqui

O concurso atendeu às exigências do Decreto Estadual 56.229/2021 e teve reserva de vagas para pessoas com deficiência, indígenas, negros e transgêneros.

Em março, quando o edital do concurso cujas provas foram realizadas em junho foi lançado, educadores e entidades reclamaram da falta de vagas para áreas como História, Sociologia, Ensino Religioso, Filosofia, Arte, Educação Física e Língua Espanhola, entre outras. 

No mês seguinte, a deputada Sofia Cavedon pediu que o MP de Contas determinasse ao governo a ampliação do número de vagas e que estabeleça um prazo para outro concurso nas áreas de ensino que não estão contempladas.

Em outubro, o governador Eduardo Leite anunciou em uma rede social, que o Estado vai ter mais dois concursos públicos para professores. Segundo a publicação, serão 3 mil vagas em cada certame.

Ainda segundo Leite, uma das seleções ocorrerá no primeiro semestre de 2024, e a outra em 2025. A distribuição de vagas por área da licenciatura e região está em fase de elaboração pela Secretaria Estadual de Educação. 

Já em agosto, a Assembleia aprovou o projeto enviado pelo Executivo para a contratação de professores, especialistas de educação e servidores de escola em caráter emergencial e temporário. A lei prevê até 9 mil temporários nas seguintes áreas:

 

Até 5 mil professores temporários para atuar na regência de classe ou na educação especial e no atendimento educacional especializado (AEE);

Até 1.195 especialistas de educação temporários para a supervisão escolar;

Até 596 especialistas de educação temporários para atuarem como orientadores educacionais;

Até 1.150 agentes educacionais temporários para atuarem na interação com educandos;

Até 1.075 agentes educacionais temporários para a administração escolar.

Os contratos terão validade de até cinco anos, podendo ser rescindidos a qualquer momento. Além de atender às condições necessárias (ter mais de 18 anos e qualificação adequada, entre outros requisitos), haverá processo seletivo simplificado para o ingresso.