Search
Camaquã
21°C
Camaquã
21°C
Segurança

Leite assina nomeação de 331 novos agentes da Polícia Civil

Após posse, os novos inspetores e escrivães reforçaram a segurança de diversas regiões do Estado
Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini
Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

O governo do Estado celebrou, nesta segunda-feira (29), o ingresso de 331 novos agentes na Polícia Civil do Rio Grande do Sul. A cerimônia de formatura foi realizada no Teatro do Sesi, no Centro de Eventos da Federação das Indústrias do RS (Fiergs), em Porto Alegre. No ato, o governador Eduardo Leite assinou virtualmente, a partir do celular, a nomeação dos 175 inspetores e 156 escrivães. Nos próximos dias, após a posse, eles passarão a reforçar os quadros de diversas delegacias em todas as regiões do Estado.

Leite definiu a formatura como mais um resultado da retomada do equilíbrio fiscal das contas públicas:

“Imaginem fazer segurança pública com salário atrasado e viatura antiga, que quando estragava demandava vaquinha da comunidade local para o conserto ou até para o combustível. Além disso, sem tecnologia também, com os servidores tendo de levar computador e impressora para usar na delegacia. Isso acontecia no Rio Grande do Sul há bem pouco tempo”, lembrou o governador.

“Nos últimos cinco anos, coube a mim liderar um processo de transformação. Hoje, estamos celebrando o ingresso de novos servidores, com salário em dia, viaturas semiblindadas e mais tecnologia. Mas nada disso se opera sozinho, por trás de tudo existem pessoas”, destacou Leite. “E nos últimos governos, sempre tivemos mais saídas do que ingressos na segurança pública. No nosso primeiro mandato, foi o contrário: após décadas, encerramos com aumento de efetivo.”

Titular da Secretaria da Segurança Pública (SSP), o delegado federal Sandro Caron ressaltou a importância do ingresso de novos agentes na Polícia Civil para reforçar a ação integrada das instituições vinculadas da SSP por meio do programa RS Seguro. Essa integração é considerada fator essencial para a queda histórica observada nos indicadores de criminalidade:

“Trabalho de segurança pública é trabalho em equipe, com todas as instituições da SSP, do Ministério Público, da Defensoria e de órgãos federais e municipais. Essa é a premissa do RS Seguro que proporcionou a virada de jogo no combate ao crime no Estado. E o ingresso dos novos servidores vai fortalecer o sistema”, afirmou o secretário.

O balanço do ano passado mostrou que 2023 foi o ano mais seguro desde o início da série histórica de contabilização, com os menores números em diversas formas de roubo (de veículos, de cargas, a pedestres e a estabelecimentos comerciais). Também houve redução inédita nos crimes violentos letais intencionais (homicídio, latrocínios e feminicídios), que pela primeira vez somaram menos de 2 mil vítimas em um ano:

“Nunca percam o brilho no olhar, a empolgação. A gente precisa amar o que faz. Não é fácil ser policial no Brasil. Vocês não trabalham para o chefe de Polícia, o secretário ou o governador, vocês trabalham para apresentar resultados, como os que temos tido, à população”, disse Caron aos novos servidores.

Protagonismo feminino com maioria de formandas e primeira colocada

A formatura marcou o encerramento do Curso de Formação Profissional da 58ª Turma de Escrivães e da 57ª Turma de Inspetores como última etapa do processo seletivo para ingresso nas carreiras da Polícia Civil. Ao todo, 170 mulheres e 161 homens prestaram juramento de servir e proteger a sociedade gaúcha. A maior parte dos formandos é natural de diversos municípios do Rio Grande do Sul, mas 36 vieram de outros Estados, sendo 23 inspetores e 13 escrivães do Piauí, do Ceará, do Acre, de Minas Gerais, do Mato Grosso, do Mato Grosso do Sul, de Goiás, do Rio de Janeiro, de São Paulo, do Paraná e de Santa Catarina.

O auditório lotado aplaudiu com entusiasmo o destaque feito pelo governador sobre a maioria feminina entre os formandos, o que aproxima ainda mais a Polícia Civil da paridade na ocupação de cargos. Hoje a instituição conta com 58,7% de servidores homens e 41,3% de mulheres. “Essa formatura com a maioria de mulheres simboliza a força, a resiliência e a competência exigidas pela atividade policial, desafiando todos os estereótipos e contribuindo para a construção de uma instituição cada vez mais representativa”, celebrou Leite.

O chefe de Polícia, delegado Fernando Sodré, ressaltou o avanço no ingresso de efetivo na instituição. Nos últimos cinco anos, foram nomeados mais de 1,8 mil servidores entre delegados e agentes, o que representa 34,3% de todo o efetivo atual da Polícia Civil, com 5.781 policiais – um aumento de cerca de 14% em relação a 2019, quando teve início o primeiro ciclo do governo Leite.

Sodré também dirigiu palavras de estímulo aos formandos e lembrou a responsabilidade que eles assumem com a prestação do serviço qualificado ao cidadão:

“Esse dia ficará gravado na memória de vocês. É o momento em que vislumbramos um futuro positivo, valorizado pela jornada que vocês construirão a partir daqui. Levem para as Delegacias de Polícia do Estado essa mesma vibração e mantenham esse espírito para assegurar um Estado cada mais seguro”, ressaltou Sodré.

Formação

Os novos agentes iniciaram o curso de formação em 14 de agosto de 2023. Cumpriram carga horária de 810 horas com uma série de disciplinas teóricas e práticas. Os tópicos abordados incluem Defesa Pessoal, Técnicas Operacionais Policiais, Criminologia, Armamento e Tiro, Direitos Humanos e Constitucional Aplicados à Função Policial, Ética e Cidadania e Investigação Policial, dentre outras. Os dois primeiros colocados nos respectivos cursos foram a escrivã Manuela Paludo, com média 9,82 (também primeira colocada geral), e o inspetor Iverlei Antonio Sbruzzi, média 9,80. Ambos foram agraciados com um certificado de associação no clube de tiro RS Shooting e presenteados com uma pistola Glock 9mm, entregue por um representante da fabricante de armamentos.

A ampla formação dos agentes busca a melhor preparação para a vivência da rotina profissional e a prestação de serviços à comunidade. Diretora-geral da Academia de Polícia Civil do RS (Acadepol), a delegada Elisângela Melo Reghelin afirmou que a instituição direcionou todos os esforços no sentido de proporcionar uma formação sólida para os alunos:

“Eles se encontram absolutamente preparados para ingressar na carreira, habilitados em áreas operacionais, e principalmente investigativas, de modo a proporcionar à Justiça um trabalho qualificado”, destacou Elisângela, agradecendo aos colegas da Acadepol pelo trabalho incansável na formação dos alunos.

A diretora lembrou que, além das 1,2 mil vagas previstas no concurso realizado em 2017, foram convocados aprovados excedentes, totalizando, com os 331 formandos desta segunda, 1.719 novos agentes. Além disso, no concurso para delegados de polícia – realizado em 2018, que inicialmente previa 100 vagas – já foram chamados 131 novas autoridades policiais.

Ao longo da solenidade, os alunos Marcos Edinei Pereira de Moraes e Monique Alves Peixoto discursaram sobre a crença no caminho da Justiça que decidiram seguir. Os oradores destacaram que o concurso do qual participaram teve mais de 40 mil candidatos, reforçando o mérito da conquista concretizada com a formatura. O apoio dos familiares ao longo da jornada do curso também foi destacado no discurso:

“Em nome de todos os colegas, reafirmo o nosso compromisso e orgulho pelo caminho que seguimos até aqui, na melhor Polícia Civil do Brasil”, afirmou Monique.

Fonte: Secom RS