Justiça gaúcha

Homem que matou a ex com uso de ácido é condenado a 17 anos de prisão

A substância causou lesões letais provenientes de queimaduras de terceiro grau na face e no tórax
Por: Gil Martins
Publicado em: 18/05/2022 às 09h25
Atualizado em: 18/05/2022 às 09h29
Homem que matou a ex com uso de ácido é condenado a 17 anos de prisão

Um homem de 38 anos denunciado pelo Ministério Público em Caxias do Sul foi condenado nesta quinta-feira, 12 de maio, por homicídio qualificado (meio cruel, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio) cometido contra sua ex-companheira. Deivis Lobato Braga foi sentenciado a 17 anos de prisão em regime inicial fechado.

- Siga a Acústica no Google notícias tocando aqui 

Conforme a promotora de Justiça que atuou em plenário, Graziela Vieira Lorenzoni, Deivis utilizou ácido para matar Ariana Victoria Godoy Figuera em 12 de dezembro de 2019. A substância causou lesões letais provenientes de queimaduras de terceiro grau na face e no tórax.

Segundo o prontuário hospitalar, as causas do óbito foram insuficiência respiratória, queimadura da laringe e da traqueia, vitriolagem, queimadura e corrosão da pele em 20% da sua extensão.

- Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp tocando aqui!

“Deivis conhecia os horários da ex-companheira e a esperou na saída do trabalho, próximo à casa da vítima à noite. Quando chegou, ela foi atacada pelo réu com um líquido que continha ácido. O crime foi praticado em decorrência de violência doméstica”, explicou a promotora.