Agronegócio

Exportação gaúcha de carne de frango cresce 5,2% de janeiro a julho

Exportação nacional de carne de frango e de ovos fecha com alta no primeiro semestre do ano
Por: Asgav
Publicado em: 25/08/2021 às 11h13
Atualizado em: 25/08/2021 às 11h17
Exportação gaúcha de carne de frango cresce 5,2% de janeiro a julho Foto: Pixabay

Mesmo com a queda do abate de frango verificada em junho e julho deste ano no Rio Grande do Sul comparada ao  mês de março corrente - último período que registrou alta em 2021, a exportação gaúcha do produto terminou o período com saldo positivo. De janeiro a julho  de 2021, o setor  mandou para o mercado internacional 411.110 mil toneladas de carne de frango, 5,2 % acima do volume embarcado na mesma data do ano passado, que foi de 390.872 mil toneladas. Esse aumento teve reflexos na receita, que somou US$ 663.785 milhões, 23,8% acima do total negociado na mesma data de 2020, que foi de US$ 536.311 milhões. A alta foi puxada principalmente por julho, que vendeu 58.967 mil toneladas para outros países, 1,5% acima total comercializado  no mesmo mês do ano passado, que foi de 58.087 mil toneladas. A receita gerada em julho foi de  US$ 103.789 milhões 44,2 % sobre o mesmo sétimo mês de 2020, concluído com US$  71.988 milhões de faturamento.

O presidente executivo da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav), José Eduardo dos Santos, comenta que, mesmo com a desaceleração do abate detectada nos últimos três meses, em especial, pela elevação excessiva dos custos de produção, o cenário das exportações tem sido vital para impulsionar as empresas exportadoras,  que contabilizam  danos gerados pela instabilidade econômica e pelos elevados custos de produção.  "À medida em que as exportações acusam recuperação, podemos avaliar como um alívio para quem vende no mercado internacional,” avalia. No entanto, Santos destaca que há produtores que dependem, unicamente, do mercado interno, e que esses têm sérias dificuldades de manter o patamar de competitividade. “Esse grupo está sofrendo fortemente os efeitos desse contexto”, enfatiza.

No segmento de ovos, as exportações do RS fecharam em 874 toneladas de janeiro a julho de 2021, volume que sinaliza 2,7% de queda em relação ao mesmo período do ano passado, que atingiu 899 toneladas de ovos enviadas para o mercado internacional. Mesmo assim, a receita cambial aumentou 19,6% na comparação entre janeiro a julho de 2021/2020, passando de US$ 1,601 milhões (2020) para US$ 1.915 milhões (2021). Em julho, o embarque de ovos foi de 183,5 toneladas, 108% de incremento sobre julho do ano passado, que ficou em 88,2 toneladas.  Com um acréscimo que passou dos 100% na quantidade de ovos exportada em julho, o faturamento também foi maior, passando de US$  185,9 milhões para US$ 355,3 milhões, 91,1% superior à movimentação financeira de julho do ano passado. Apesar da pequena retração em volume  verificada no período, o dirigente explica que a venda de ovos, principalmente os industrializados destinados ao Japão, podem manter a linha de evolução nas exportações gaúchas de ovos.

Exportação nacional de carne de frango e de ovos fecha com alta no primeiro semestre do ano

O setor avícola brasileiro cresceu 8% no acumulado de janeiro a julho na comparação 2020/2021, passando de 2.471.270 milhões de toneladas (2020) para  2.668.520 milhões de toneladas (2021).  A receita cambial registrou alta de 15,7% no período, subindo de  US$ 3.642.703 (2020) para US$4.216.072 (2021). Em julho, o volume embarcado subiu 16,4%, passando de 364.697 mil toneladas para 424.430 mil toneladas. A comercialização resultou em US$ 739.230 milhões no sétimo mês, 48,4% sobre julho do ano passado, que ficou em US$ 498.271 milhões.

A exportação nacional de ovos novamente ultrapassou 100% de incremento no período apurado. De janeiro a julho, os embarques somaram 6.110 mil toneladas, 139,2% a mais em relação a igual período de 2020, que exportou 2.554 mil toneladas. A receita obtida foi de US$ 8.817milhões 130,6% acima do negociado em 2020, que ficou em US$ 3.824 milhões. Em julho, a alta foi de 84,4% sobre julho do ano anterior, passando de 243 toneladas (jul/2020) para 448 toneladas (jul/2021). Esse volume se converteu em uma subida de 21,7% de receita, um aumento de US$ 651 mil  (jun/2020) para US$ 792 mil(jul/2021).