Search
Camaquã
21°C
Camaquã
21°C
Política

Entidades se manifestam após governo do RS publicar decretos com corte de benefícios fiscais

Publicada neste sábado, medida é classificada como um plano B para o caso de o aumento de ICMS não ser aprovado
Foto: Reprodução/Mauricio Tonetto
Foto: Reprodução/Mauricio Tonetto

Neste sábado (16), o  governo do Rio Grande do Sul publicou um pacote de decretos com cortes de benefícios para setores produtivos do Estado. São cinco textos publicados no Diário Oficial do Estado. Diversas entidades e classes se posicionaram após este ato do executivo estadual.

Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp de graça tocando aqui!

A Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul), que já havia se manifestado sobre o “plano B” de Leite nesta semana, agora, posiciona-se junto ao Sistema Fetransul, Setcergs, AGV e Sindicato Rural, através de um chamamento para os seus associados se mobilizarem na próxima sessão da Assembleia Legislativa, onde na próxima terça-feira(19), será votado o projeto do novo ICMS :

 

“Neste difícil momento de perda de renda, com famílias e negócios endividados depois de uma pan- demia, de três anos consecutivos de seca e enchentes terríveis, o Governador decretou o fim de benefícios fiscais, elevando preços de alimentos e condenando empregos e empresas, numa bar- ganha para tentar aumentar o ICMS sobre a luz, a comida, as roupas, o custo do transporte…

 

O Governo quer convencer para o aumento de impostos, dizendo que faltará arrecadação no futuro por conta de um artigo na reforma tributária nacional que já foi retirado, usando a narrativa de que fal- tará dinheiro numa projeção do RS crescer menos em 2024, do que cresceu durante a estiagem de 2023.

 

Um jovem político que diz proteger o futuro com mais impostos, mas mata o presente, promovendo o desespero no lugar da esperança, trazendo prejuízo aos trabalhadores, empresários, agricultores, caminhoneiros… surpreendendo políticos experientes com uma insensível estratégia de coação.

 

Quando a pior narrativa tenta se sobrepor às mais evidentes verdades, buscando dividir pelo medo para conquistar a submissão, precisamos resgatar os valores que nos unem como povo, da esquerda à direita, de todos que acreditam na construção do futuro pelo trabalho, pela produção, na permanên- cia de empregos, empresas e talentos como estímulo da renda familiar, como melhor caminho para encontrar soluções. Precisamos refrear os abusos, com valores.

 

Diante da gravidade da situação, como forma de apoiar os Deputados do Parlamento gaúcho para evitar qualquer aumento de impostos, conclamamos nossos associados a se unirem às mobilizações desta terça-feira, 19 de dezembro, dia da votação, às 11h da manhã, em frente a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, para manifestação ordeira, pacífica e dentro da le-galidade.

 

O Rio Grande sofre por ter sido dividido por tempo demais, mas precisa agora de todos que acreditam na capacidade de trabalho de seu povo. É tempo de união! Juntos com fé no futuro”, conforme nota oficial.

 

Em suas redes sociais, Eduardo Leite apontou que a alternativa que eleva a alíquota do ICMS é a “opção menos amarga”. Ele afirma que os decretos serão revogados caso o aumento de tributo seja aprovado pelos deputados na votação prevista para terça-feira.

Tags: Economia, Política, riograndedosul