Agronegócio

Em segundo leilão, unidades da Cesa não são arrematadas em Camaquã

Em formato híbrido, somente a unidade de Santo Ângelo foi vendida
Por: Valesca Luz/Acústica
Publicado em: 01/10/2021 às 17h04
Atualizado em: 06/10/2021 às 09h06
Em segundo leilão, unidades da Cesa não são arrematadas em Camaquã Foto: Valério Weege/Arquivo/Divulgação

As unidades da Cesa (CompanhiaEstadual de Silos e Armazéns) em Camaquã não foram arrematadas durante o segundo leilão. Em formato híbrido, o leilão ocorreu nesta quinta-feira (30) onde somente a unidade de Santo Ângelo foi vendida.

Durante o evento as unidades de Santa Bárbara do Sul, Tapejara e Capão do Leão foram a leilão pela Justiça do Trabalho. Em Camaquã serão vendidas duas unidades, frações de terras, máquinas, equipamentos e unidade industrial. Conforme informações, além dos silos ambas unidades possuem grandes áreas próprias para loteamento. Em Capão do Leão a proposta pretendia leiloar a unidade frigorifica.

Desde o mês de junho, a Associação dos Arrozeiros de Camaquã pretendia assumir a administração das unidades, através de contrato de sessão de uso por oito meses. De acordo com o arrozeiro, Gross em entrevista ao Canal Conexão Rural, naquela oportunidade, a associação está em tratativas com o Governo do Estado. A entidade possui expectativa de adquirir o local com objetivo de desenvolvimento da região, no entanto o patrimônio público é avaliado em R$ 20 milhões.