Entrevista

“Diagnóstico deve conter prejuízos da pandemia”, afirma ministro da Educação

Segundo ministro Milton Ribeiro escolas estiveram fechadas por tempo demasiado
Por: Valesca Luz
Publicado em: 05/10/2021 às 10h09
Atualizado em: 06/10/2021 às 08h29
“Diagnóstico deve conter prejuízos da pandemia”, afirma ministro da Educação Fotos: Fábio Renner/Acústica FM

No pós-pandemia, o Ministério da Educação busca minimizar prejuízos e iniciará com diagnóstico da educação brasileira. A reportagem da Acústica FM conversou com o ministro Milton Ribeiro, na Expogramado nesta segunda-feira (04).

Durante evento promovido pela Famurs, o ministro afirmou que as escolas ficaram fechadas por tempo demasiado, apesar da recomendação de uso dos protocolos de biossegurança, como álcool gel e distanciamento. Durante fala apontou o conflito político, discutido na pandemia: “meu receio é uso político, a educação está acima de política, os prejuízos das crianças são grandes”, declara. O foco é diagnosticar a situação atual para conter prejuízos.

Para o presidente do presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Marcelo Lopes, o governo federal focará no pós-pandemia nas questões educativas: “Ano da pandemia, médico e hospital, pós-pandemia professor, escola e educação”, afirma.



Com mais de 300 prefeitos, gestores da prefeitura de São Lourenço do Sul estiveram no evento. Conforme o secretário da Educação, Fabiano Bosenbecker, as demandas do município foram apresentadas aos técnicos do ministério da Educação.

Para o presidente da Famurs, Eduardo Bonotto em entrevista a reportagem da emissora, mais de 600 pessoas entre administradores e técnicos interessados na pauta, participaram do evento: “satisfação muito grande, momento oportuno na retomada da educação”, declara. Ainda participam do encontro, o prefeito de Gramado Nestor Tissot.

O evento foi oportuno para prefeitos e prefeitas esclarecem dúvidas sobre programas, políticas públicas e prestação de contas dos municípios na área da Educação em atendimentos individualizados. 



Atendimentos especializados

Ao entrar no salão da Expogramado, os gestores foram conduzidos pela equipe da Famurs para uma sala de trabalho, em que técnicos do Ministério da Educação e do FNDE realizaram atendimentos individualizados para as prefeituras do Rio Grande do Sul. As principais demandas estavam centralizadas em temas como o funcionamento do Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle (SIMEC); o novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb); o Plano de Ações Articuladas (PAR 4); captações de recursos para as escolas, entre outros temas. Também houve a assinatura simbólica das Atas de Registro de Preços dos ônibus escolares.

Câmaras temáticas

Durante o evento, o presidente da Famurs anunciou a criação das câmaras temáticas de inovação e educação. O objetivo dos grupos será desenvolver ações em todo o RS que contribuam para o desenvolvimento de tecnologias nas duas áreas.

A Câmara Temática de Inovação da Famurs será composta pelos prefeitos de Restinga Seca, Paulo Ricardo Salerno; de Esteio, Leonardo Pascoal; de Dom Pedrito, Mário Augusto; e de Santo Ângelo, Jacques Barbosa. Já na Câmara Temática da Educação, os trabalhos serão realizados pelos prefeitos de Nova Santa Rita, Rodrigo Battisttela; de Muitos Capões, Professora Rita; de Santiago, Tiago Gorski; Carlos Barbosa, Everson Kirch; e de Quinze de novembro, Gustavo Stolte.


Um espaço maker de impressoras 3D e tecnologia cria soluções para desenvolvimento do mercado. Escolas públicas, selecionadas pela Secretaria Estadual de Educação receberam doações de impressoras. 

">

">