Search
Camaquã
21°C
Camaquã
21°C
Dia de protesto

Camaquã realiza manifestação contra tarifa dos pedágios

Protesto na BR-116 acontece na tarde desta quarta-feira
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A tarde desta quarta-feira (03), será marcada pela manifestação para mostrar a insatisfação da população com o aumento nas tarifas de pedágio nas praças administradas pela Ecosul no sul do estado. Desde o primeiro dia de 2024, a metade sul está sendo afetadas pelas cobranças mais caras do país.

Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp tocando aqui!

Diversas entidades camaquenses estão promovendo um protesto que terá início às 15h na BR-116, em frente ao Posto Sim. Há uma expectativa de presença de inúmeros manifestantes.

Os valores causaram revolta em usuários, que utilizaram as redes sociais, para manifestar o desagrado com as cobranças. Trata-se de um aumento de 28,9%, aprovado pela Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT).

Quem trefega pela BR-116, já percebe o encarecimento dos valores nas praças de Cristal, Pelotas e Capão do Leão. Já os motoristas que transitarem pela BR-392, entre Rio Grande e Canguçu, também estão sendo afetados.

Confira os valores das novas tarifas de acordo com publicação no Diário Oficial da União:

– Carros – R$ 19,60

– Automóveis 3 Eixos – R$ 29,30

– Automóveis 4 Eixos – R$ 39,10

– Caminhão 2 Eixos/Ônibus – R$ 39,10

– Caminhão 3 Eixos – R$ 58,70

– Caminhão 4 Eixos – R$ 78,20

– Caminhão 5 Eixos – R$ 97,80

– Caminhão 6 Eixos – R$117,40

O aumento dos pedágios gerou tanta revolta que uma série de manifestações estão sendo previstas para este mês de janeiro, nos municípios afetados. A primeira delas, acontecerá nesta quarta-feira (03), justamente no ponto de início da concessão da Ecosul: Camaquã.

“Não podemos e não vamos aceitar que a nossa região seja ainda mais sufocada e prejudicada pelo aumento abusivo dos valores dos pedágios e com contratos injustos e imorais, que prejudicam o nosso desenvolvimento”, disse o comunicado divulgado pela equipe organizadora.

Ainda conforme a divulgação do evento, trata-se de um ato apartidário, que deve contar com o apoio de toda a comunidade.

“O objetivo é realizamos um protesto pacífico, ordeiro, mas extremamente necessário, para que a imprensa estadual/nacional e as autoridades federais competentes, que podem fazer algo para frear estas propostas, enxerguem o absurdo que está acontecendo neste canto do Rio Grande”, diz a divulgação.

Entre as entidades camaquenses que organizam a manifestação, estão a Associação Comercial e Industrial de Camaquã (ACIC), o Sindicato Rural de Camaquã e Arambaré, o Sindilojas Costa Doce, a Associação dos Municípios da Costa Doce, Federasul, além das Frentes Parlamentares, da Metade Sul e Conclusão das Obras de Duplicação da BR-116.

Tags: Camaquã, Cidades, Costa Doce, Economia, Região, Trânsito