Blogs

Publicado em 19/07/2021

Cuba: a primeira coisa a ser feita

Por: Gilberto Simões Pires

QUARENTENA NO MÉXICO

Como estou em Playa del Carmen, ao lado de Cancún, cumprindo os necessários 15 dias de quarentena para poder ingressar nos EUA, tenho assistido com boa frequência o canal de notícias da TV Azteca -ADN 40-, que despeja notícias de fatos que acontecem no mundo todo, com ênfase naquilo que diz respeito ao México e arredores.

PRESIDENTE OBRADOR

Pois, ontem, em entrevista que concedeu ao canal ADN 40, o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, um SOCIALISTA de CORPO INTEIRO, ao ser perguntado sobre a situação de Cuba disse, categoricamente:- lo primero que se debería hacer es suspender el bloqueo a Cuba, como lo están solicitando la mayoría de los países del mundo-.

DIREITOS FUNDAMENTAIS

Ora, em primeiro lugar, a bem da mais pura verdade, os EUA jamais BLOQUEARAM O COMÉRCIO DE CUBA COM TERCEIROS, ou seja, COM OUTROS PAÍSES MUNDO A FORA. Mais: a medida foi tomada porque o governo comunista de Cuba, desde sempre, não cumpre minimamente com os DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS do pobre povo cubano.

PRIMEIRA EXIGÊNCIA

Portanto, EM PRIMEIRÍSSIMO LUGAR, muito antes de pedir o FIM DO EMBARGO, ou BLOQUEIO COMERCIAL imposto pelos EUA, todos os países do mundo deveriam EXIGIR do governo comunista de Cuba o CUMPRIMENTO do que está posto na -Declaração Universal dos Direitos Humanos-, adotada e proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas (resolução 217 A III) em 10 de dezembro 1948.

TODOS OS ITENS DESRESPEITADOS

Para quem não sabe, isto significa, em síntese, GARANTIR O DIREITO À VIDA, À PROPRIEDADE, À LIBERDADE E A BUSCA DA FELICIDADE. Ora, como o governo comunista, além de FUZILAR milhões de cubanos também CONFISCOU as PROPRIEDADES e, literalmente, ACABOU COM A LIBERDADE INDIVIDUAL na Ilha, todos os itens que constam na DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS, proclamada pela ONU, foram simplesmente ignorados e/ou desrespeitados.

BASTA DESTRUIR A CAUSA

Uma coisa ninguém em sã consciência tem dúvida: no momento em que o governo cubano resolver cumprir com os DIREITOS HUMANOS, devolvendo as propriedades aos seus legítimos donos (as vidas, infelizmente, não podem ser restituídas), assim como a liberdade individual, o EMBARGO desmorona. De novo: DESTRUINDO A CAUSA, a CONSEQUÊNCIA MORRE.

Deixar um comentário