Blogs

Publicado em 05/06/2020

Recordações às vésperas do meu aniversário...

Por: Simone Cortez

Nesse confinamento lembrei que na adolescência vivia numa pequena cidade do Rio Grande do Sul – Tapes. Em uma sexta como hoje, saí a caminhar para ver o que a vida tinha para me oferecer e cumprimentei o zelador do prédio, sempre aquele mesmo senhor, o seu Manoel, que mais dormia numa poltrona, que vigilava, já que a segurança privada não era o foco da vida.

Era nada futurístico, vivíamos o momento. Cruzei na rua com amigos da escola, suados do futebol, uns gatinhos e outros chatinhos, que hoje adoro todos. Desviando do roller e das bicicletas na avenida principal, desfilavam os moderninhos da “Garely”. A dona da vendinha da esquina já me gritava sobre as novas figurinhas do álbum que era a sensação do momento, mas sequer percebia que eu já havia crescido para isso.

Caminhando, logo cheguei na praça da igreja, o point da cidade, ao lado morava uma amiga com um cachorro de cada raça, que me inspirava a um dia ter o meu. Corri para alcançar minha turminha do tênis “Tryon” na porta da livraria, pois estava chegando o novo modelo da agenda “Murphys”, escolhi a minha, pedi para anotar na conta do meu pai, mas percebi minha mãe não sabia onde eu estava, quando vi a melhor amiga dela saindo do mercado cheia de guloseimas, que provavelmente, era para o tradicional chá da tarde delas. Ficou ali mesmo combinada a programação do final de semana combinada, sem celular: luau com a galera da praia e festa do cedro no sábado à noite.

Em duas horas daquela singela caminhada, vivi tanto! Aquilo era tudo de bom, mas o melhor era voltar para casa antes que não fosse tão bom assim. Na saída dei boas risadas dos saltos de bike marca “Ventura” que acabavam sempre em pequenos tombos - fantástico! A pequena cidade Lagoa dos Patos tranquila e jovial nos permitia essas alegrias. Esquecer o biquíni, não era problema, já entrar na lagoa de roupa também era uma opção muito mais emocionante. As postagens e fotos, ficaram na CPU dos nossos corações.

A duas quadras de chegar em casa estaciona meu ex-namorado, descobriu meus passos pelos comentários da praça, mais eficaz que o whatsaap. Uma carona? E eu pulsando de felicidade fingi como se não houvesse nada melhor a fazer, aceitei. Não fiz novas amizades, mas estive com as melhores. A troca de uma sessão da tarde na tv por uma realidade, foi impagável. Um novo amor não surgiu e pra quê? Se resgatei exatamente o que eu queria, sem querer querendo! Ainda bem que perdi a crença do acaso. O que está para acontecer, vai acontecer. Vivendo essas recordações às vésperas do meu aniversário, decidi despretensiosamente, confiar novamente nesse caminho já traçado que está por vir e deixar rolar!

#deixaacontecernaturalmente

#deixavidamelevar

Deixar um comentário