Blogs

Publicado em 25/10/2019

Oh falsa independência!

Por: Simone Cortez

A liberdade é emocional. Não dá pra sentir o vento soprar com toda intensidade nos cabelos, quando estamos preocupados com o ângulo da selfie. A falsa liberdade visual também dói, infelizmente condicionada pelo olhar do outro. Quando que você foi a praia sem se importar com o que os outros estavam pensando sobre o seu corpo ou vestiu uma roupa confortável que talvez não combinasse tanto, sem se sentir observado? Cerceamos a liberdade alheia todas as vezes que julgamos qualquer casca ou enquadramos alguém em uma categoria, porém se o outro estiver num estado emocional livre, o problema será única e exclusivamente nosso.

De outro modo, a liberdade exposta em grandes atitudes, rebeldias, aventuras, movimentos externos é loucura. Como se uma viagem de volta ao mundo fosse uma prova de liberdade maior que escolher qual comer ou não um chocolate. Como se ingerir álcool ou drogas fosse o maior estado de libertação. Oh falsa independência! Oh quanta relevância ao que nada acrescenta. Liberdade não está lá fora, está aqui dentro. Ninguém disse que uma cervejinha não é bem vinda, mas mateando com meus velhos amigos e trocando aquela ideia, surgiu o relato do tio de um deles, que usou a tal liberdade para beber e fazer o que bem entendesse após uma separação conjugal, concluiu que passados 10 anos, tudo que tinha conquistado era um grande estado prisional irreversível de álcool e drogas, que lhe custou caro.

Lembrei da liberdade com consciência, aquela que não precisa quebrar as coisas ou padrões convencionais para se sentir livre, não precisamos do proibido para sermos heróis dizendo: ninguém manda em nós e dane-se o mundo. Nada disso! A liberdade é se sentir em paz dentro do meio em que se vive, com o simples, com o honesto, com o justo; é valorar pequenos atos, é se sentir livre dentro da própria casa, dentro do seu próprio corpo, sem subir no poste e se pintar de vermelho, conhece? Liberdade é paz, é dizer: está tudo ótimo, está tudo bem, pode ser, outra vez fazemos de outro modo. Liberdade é se submeter aos gostos do outro para experienciar o novo e não ficar preso somente aos seus padrões. Porque se for assim, meu caro amigo(a), lamento dizer, aí você está mais preso que nunca!

#Dilemasdomundomoderno

Deixar um comentário