Economia

Arrecadação de impostos estaduais no RS fechou com variação negativa em abril

O desempenho deste ano foi feito em comparação a igual período em 2021
Por: Camila Mattos
Publicado em: 22/05/2022 às 14h52
Atualizado em: 23/05/2022 às 08h56
Arrecadação de impostos estaduais no RS fechou com variação negativa em abril Foto: Divulgação

O desempenho da arrecadação de impostos estaduais no Rio Grande do Sul fechou o mês de abril com variação negativa real em comparação a igual período em 2021. Foram arrecadados R$ 4,91 bilhões – representando uma queda de 6,1% (R$ 319 milhões) frente ao ano passado, em números atualizados pelo IPCA. O resultado é composto pela soma do ICMS (Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual, Intermunicipal e de Comunicação), do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e do ITCD (Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens e Direitos).

A Receita Estadual aponta que uma das principais razões para a queda é o impacto da redução da alíquota geral do ICMS, de 17,5% para 17%, e das alíquotas sobre combustíveis, energia elétrica e comunicações, de 30% para 25% – mudanças em vigor desde o início de 2022. Conforme estimado, a alteração provocaria impacto negativo de aproximadamente 8% no montante arrecadado com o imposto, movimento confirmado em abril, quando a arrecadação de ICMS ficou em R$ 3,99 bilhões, valor 7,7% inferior ao registrado em 2021, em números atualizados.

Também influenciaram para o resultado, o alto volume de antecipações do IPVA 2022 em dezembro de 2021; a política mais atrativa para a quitação do imposto no primeiro trimestre e a possibilidade de parcelamento do valor em até seis vezes, o dobro que nos anos anteriores. Seja pela antecipação ou dilatação dos pagamentos, esses fatores acabaram por reduzir o montante pago no vencimento em abril. Com isso, o IPVA somou R$ 753,48 milhões arrecadados no mês, o que significa uma redução real de 9,3% na comparação com 2021.

O ITCD, por sua vez, teve o valor arrecadado mais do que duplicado em abril. Ao todo, foram R$ 167,70 milhões recolhidos, consistindo em uma variação positiva na ordem de 118,1% frente ao mesmo período do ano passado, em números atualizados pelo IPCA. O resultado foi impactado positivamente por uma arrecadação extraordinária, não recorrente, na ordem de R$ 90 milhões. Os números no ITCD também refletem o amplo processo que vem sendo implementado pelo fisco para modernização da gestão, dos processos e dos serviços relacionados ao ITCD.

Tabela arrecada 4 2022
Fonte: Sefaz / Receita Estadual



Arrecadação acumulada em 2022

Com o resultado de abril, a arrecadação acumulada dos impostos estaduais em 2022 apresenta variação negativa frente a 2021, em números reais, ou seja, descontada a inflação do período. Nos quatro primeiros meses deste ano, foram arrecadados R$ 17,70 bilhões, indicando uma redução de 2,9% (R$ 525 milhões) na comparação com o ano passado, considerando o regime de caixa, que apropria as receitas ao período de seu efetivo ingresso nos cofres públicos. Se considerar o IPVA pelo regime de competência (valores apropriados ao período a que se referem, ou seja, incluindo as antecipações de dezembro de 2021), a queda real no somatório de todos os impostos estaduais é de apenas 0,1%.

Diante da redução das alíquotas, o resultado é considerado positivo pelo fisco gaúcho, refletindo a retomada da atividade econômica após o período de maior impacto da crise da covid-19 e diversas iniciativas adotadas para modernização da administração tributária e melhoria do ambiente de negócios no Estado, em especial, por meio da agenda Receita 2030.

Texto: Ascom