Alertas

Alerta de frio: confira dicas de como economizar energia elétrica com segurança

Estado registrou 8,5% do total de incêndios ocasionados por sobrecarga de energia
Por: Andreia Fantinel - Foto: Pixabay - Divulgação
Publicado em: 28/07/2021 às 16h58
Atualizado em: 12/08/2021 às 16h14
Alerta de frio: confira dicas de como economizar energia elétrica com segurança

A previsão de temperaturas muito baixas para os próximos dias intensifica a necessidade de uso de equipamentos elétricos que promovam o conforto térmico. Mas, antes de sair ligando os aparelhos novos é preciso ter um cuidado todo especial com a capacidade da instalação elétrica das residências, a fim de evitar risco de curtos-circuitos, choques elétricos e, em casos mais graves, até mesmo de incêndios.

> Receba todas as notícias da Acústica no seu WhatsApp tocando aqui!

A CEEE Distribuição, uma empresa do Grupo Equatorial Energia, reforça o alerta a seus clientes para tomarem todas as precauções e garantirem que a temperatura agradável não seja o início de uma preocupação. Para começar, o uso dos aquecedores elétricos ou de condicionadores de ar requer análise adequada tanto na escolha dos modelos quanto da capacidade da instalação, que devem ser compatíveis à carga, e, com a atenção necessária, ainda podem consumir a energia de forma mais eficiente. É muito importante contratar um eletricista para avaliar e testar se a rede instalada na residência suporta a carga, pois ele poderá fazer as adaptações necessárias, caso identifique algum tipo de inadequação.

> Siga a Acústica no Google notícias tocando aqui!

De parte do cliente, é importante ler o manual de instrução e seguir todas as orientações, bem como manter aquecedores longe de cortinas ou pias, tanques, chuveiros e demais locais onde haja água. Além disso, evitar usar extensões ou ligar mais de um aparelho na mesma tomada do aquecedor, pois esse tipo de uso pode causar sobrecarga, aumentando o consumo, danificando os aparelhos e provocando incêndios. E, por fim, para evitar acidentes, se não houver ninguém no ambiente, desligue o aquecedor. Lembre-se também de que esse tipo de equipamento é indicado para ambientes pequenos e pode não produzir o efeito desejado em peças maiores.

Leia mais: Equatorial Energia estuda construir subestação em Cerro Grande do Sul

Segundo dados da Associação Brasileira de Conscientização para o Perigos da Eletricidade (Abracopel), apesar de representar menos de 6% da população brasileira, o Rio Grande do Sul registrou 8,5% do total de incêndios ocasionados por sobrecarga em todo o Brasil, sendo o terceiro estado com o maior número de casos (49), em 2020. Ficou atrás apenas de São Paulo, com 15% (91), cuja população representa mais de 20% do total nacional, e do Paraná, que teve 10% dos casos (63).

Metade das ocorrências deste tipo em todo o país foi registrada em residências, o que demonstra a necessidade de atenção à qualidade da instalação e dos sistemas de proteção. O relatório da Abracopel reforça que o maior problema é o uso indiscriminado de equipamentos sem instalação elétrica adequada. E indica que, no ano passado, o ar-condicionado foi um dos principais causadores de acidentes.

Dicas de uso eficiente de energia elétrica para o frio

Em tempos de crise hídrica e bandeira vermelha patamar 2, evitar as chamadas “fugas” de energia e a adequação do cabeamento elétrico permitem melhor aproveitamento dos equipamentos, refletindo até mesmo na conta de energia. Alguns eletrodomésticos têm consumo medido por centros de pesquisas do governo. Os mais eficientes ganham o Selo Procel. Na hora da compra, a escolha por esses modelos resulta em economia na hora do pagamento da fatura.

Assim como ocorreu nos demais anos, aquecedores, torneiras elétricas, chuveiros com a potência máxima e outros itens são ligados para amenizar as baixas temperaturas dentro de casa. De acordo com especialistas, o valor da conta de luz, no inverno, pode subir de 20% a até 50%, dependendo da região, do tamanho da família e dos hábitos de cada uma. A CEEE retoma aqui algumas dicas para que, além de ter segurança no uso dos equipamentos, o consumidor também não leve um susto na hora de pagar a conta:

• Chuveiro: está entre os principais vilões. É responsável por um percentual significativo no consumo de energia residencial e pode aumentar o consumo em 30% quando está com a chave na “posição inverno”. Dessa forma, de acordo com a empresa, a principal mudança de hábitos para controlar a conta de luz é reduzir o tempo de banho e evitar o desperdício de água. Por exemplo:

o não deixar a água correndo por muito tempo sem utilizá-la para o banho propriamente dito (esquentar o banheiro com o vapor da água);

o evitar o uso do chuveiro no horário de pico, para não sobrecarregar o sistema elétrico da sua cidade;

o utilizar resistências originais, verificando a potência e a voltagem correta do aparelho;

o jamais fazer emendas ou adaptações;

o utilizar equipamentos com a potência compatível ao dimensionado para o circuito de alimentação.

 

• Aquecedores de água: a dica primordial é ajustar o termostato de acordo com a temperatura ambiente, pois, se esquentar demais e houver necessidade de misturar a água fria, haverá grande desperdício. Além disso:

o ligue os aparelhos somente pelo tempo necessário. Uma possibilidade é instalar um timer para tornar essa tarefa automática.

o fique atento para nunca ligar o aquecedor vazio à rede elétrica – para verificar se está vazio, abra a torneira de água quente com o aquecedor central desligado.

• Aquecedores de ambiente: evite o desperdício de energia ligando-os apenas em locais com portas e janelas totalmente fechadas e também onde há pessoas presentes. Lembre-se sempre de que eles são indicados apenas para pequenos ambientes.

• Ferro de passar roupa: outro grande consumidor de energia elétrica. Funciona por meio do aquecimento de uma resistência, cuja potência varia conforme o modelo do aparelho. Para usá-lo com economia, se ligue em:

o acumule a maior quantidade possível de roupas, para passar tudo de uma vez só, pois ligá-lo várias vezes ao dia desperdiça muita energia;

o regule a temperatura seguindo as orientações do fabricante ou, no caso do ferro elétrico automático, a indicada para cada tipo de tecido.

o inicie sempre pelas roupas que requerem temperaturas mais baixas e, conforme a temperatura vai aumentando, modifique. Mas reserve algumas roupas leves, como as feitas de nylon e lingeries, para serem passadas nos últimos dez minutos, com o ferro desligado. Isso ajuda a economizar, já que o aparelho ainda estará quente.

• Torneiras elétricas: elas são de fato um ótimo conforto, mas que consomem bastante energia. Dessa forma, procure ensaboar toda a louça (copos, pratos, talheres, panelas, etc.) antecipadamente, para depois enxaguá-las de uma só vez. E, lembre-se: use o aparelho somente em caso de necessidade, como quando as temperaturas estão muito baixas.

• Geladeira = geladeira é um grande consumidor de energia elétrica, porém, no inverno, a temperatura interna do refrigerador não precisa ser tão baixa quanto no verão. Assim:

o regule o termostato;

o não use as serpentinas de trás do aparelho para secar panos de prato e roupas;

o verifique se a borracha de vedação está em bom estado, evitando que o ar frio escape de dentro da geladeira;

o não abra a porta sem necessidade ou por tempo prolongado;

o não guarde nada ainda quente no refrigerador nem no freezer.

Com essas dicas, a CEEE Distribuição, empresa do Grupo Equatorial Energia, espera auxiliar os clientes a se protegerem do frio, com segurança e sem gastar mais energia do que o necessário para manter o conforto.