Search
Camaquã
25°C
Camaquã
25°C

2º colocado da eleição mexicana quer recontagem dos votos

img_125_foto_1.jpg

O segundo colocado na eleição presidencial mexicana, o centro esquerdista Andrés Manoel López Obrador, pediu nesta terça-feira (3) a recontagem total dos mais de 49 milhões de votos do pleito do último domingo (1°). A autoridade eleitoral do país anunciou que só revisaria um terço dos votos diante da inciativa de López Obrador de pedir a impugnação dos resultado, que deu a vitória a Enrique Peña Nieto.

López Obrador, candidato pela aliança encabeçada pelo Partido da Revolução Democrática (PRD) ficou 6,51 pontos percentuais atrás de Peña Nieto, do Partido Revolucionário Institucional (PRI), de acordo com os resultados preliminares oficiais.

“Pelo bem da democracia, pelo bem do país, devem recontar todos os votos”, disse Lópes Obrador ao comentar que sua equipe detectou “irregularidades” em mais de 113 mil atas dos 143 mil centros de votação, segundo a agência de notícias DPA.

Segunda- feira (2) à noite, o líder do PRD anunciou que pediria a impugnação das eleições de domingo porque foram “sujas, desiguais e cheias de irregularidades”, por isso pediria a “revisão das atas e dos centros de votação” e, em alguns casos, a contagem das cédulas, e assegurou que usará todos os “procedimentos legais” para provar que houve fraude.

O Instituto Federal Eleitoral (IFE) do México anunciou hoje que vai revisar a contagem de um terço dos votos que abarcam os distritos em que a diferença de votos entre os dois candidatos foi menor que 1%.

“Estamos falando em termos gerais de cerca de um terço da eleição presidencial”, explicou na tarde hoje o presidente da Comissão de Capacitação e Organização Eleitoral do IFE, Alfredo Figueroa, ao anunciar a recontagem.

Os resultados eleitorais preliminares deram a Peña Nieto 38,15%, após a apuração de 98,95% dos votos. De acordo com a contagem, Peña Nieto teve  18.727.398 votos e López Obrador alcançou 31,64%, o equivalente a 15.535.117 votos.

A decisão do IFE de abrir as urnas, que são guardadas por militares do Exército e da Marinha, também inclui casos em que o número de votos nulos seja maior que a diferença entre o primeito e o segundo lugar, e também recontará uma parte dos votos dos candidatos ao Senado.

No total, a estimativa é que sejam abertas de 45 mil a 50 mil urnas, mais que as 2,8 mil abertos nas eleições de 2006 quando López Obrador ficou 0,56 ponto percentuais atrás de Felipe Calderón e também denunciou fraude.

Diante do novo pedido de López Obrador, o IFE decidirá amanhã (4) em uma sessão extraordinária se aceita o requerimento.