Dicas de segurança

19 de agosto: no Dia Nacional do Ciclista, confira dicas para pedalar com segurança

É essencial que o prazer de pedalar venha acompanhado de uma série de cuidados
Por: Daniel Ito/Agência Brasil
Publicado em: 19/08/2021 às 14h25
Atualizado em: 19/08/2021 às 15h03
19 de agosto: no Dia Nacional do Ciclista, confira dicas para pedalar com segurança Motoristas também possuem o dever de cuidar de um trânsito seguro de bicicletas. Foto: Valesca Luz/Acústica FM

Quem gosta de andar de bicicleta sabe que sempre existe aquele risco de queda ou de um acidente. Por isso, é essencial que o prazer de pedalar venha acompanhado de uma série de cuidados para garantir a segurança do ciclista.

A primeira e, talvez, a mais importante dentre todas as medidas é usar capacete. O médico Carlos Eid, coordenador da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), destaca que até mesmo uma queda leve de bicicleta em velocidade baixa, pode trazer sérias consequências para o crânio, que podem ser fatais.

"Quando esse osso se quebra, você tem vasos, minúsculos vasos, aderidos na parte interna desse osso. Isso se rompe, extravasa sangue, e a pessoa morre de uma hemorragia cerebral, por exemplo. Então, quando você usa um capacete, o primeiro impacto se uma pessoa cai da bike ou sofre uma colisão, o primeiro impacto que ele vai ter vai ser no capacete. O capacete é que vai sofrer o impacto".

O ciclista também pode optar pelo uso de luvas para proteger as mãos. Se for pedalar à noite, as luzes de sinalização são imprescindíveis. Roupas claras ou refletivas também ajudam a manter o ciclista visível na escuridão.

A bicicleta precisa estar com a revisão em dia e em boas condições, para evitar acidentes provocados por problemas mecânicos.

Quando encarar o trânsito em locais sem ciclovias ou ciclofaixas, lembre-se de que a bicicleta também é um veículo que tem o direito de estar na rua. A dica é da Joyce Ibiapina, voluntária da rede Bike Anjo, que ensina as pessoas a perderem o medo de pedalar na cidade.

"Eu recomendo bastante que não ande colado na sarjeta da via. Porque é onde tem buraco, é onde tem bicho, é onde tem bueiro. E se andar muito perto ali, a pessoa pode acabar caindo, se machucando e furando um pneu. Então, é mais seguro ocupar um terço da faixa de rolamento, pra conseguir ter uma distância hábil de manobra e, também, de visualização".

Ao dividir as ruas com outros veículos, uma dica importante é aprender a sinalizar com as mãos a direção que pretende seguir. Quanto mais os motoristas entenderem as suas intenções no trânsito, menores são as chances de que ocorra uma colisão.

Por outro lado, as pessoas que dirigem veículos motorizados precisam ter a consciência de que elas são responsáveis pela segurança de quem está pedalando. O cicloativista Dado Galvão pede para que os motoristas se lembrem, sempre, que cada ciclista na rua é um carro a menos engarrafando as ruas da cidade.

"Trate o ciclista de forma especial. Distanciamento de um metro e meio. Se você vir um ciclista, o trânsito ali tá cheio, ligue o alerta para avisar os outros carros que vem atrás que ali vai um ciclista. Se a gente se comportar assim, motoristas, ciclistas, pedestres, a gente tá zelando por uma mobilidade mais humana na nossa casa comum, que é o planeta Terra".