12/03/2018 15h29 - Atualizado em 19/03/2018 11h27

Falta de verba para amenizar estiagem provoca imbróglio entre prefeitos e Defesa Civil

Programa Primeira Hora entrevistou o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Alexandre Martins de Lima, e a prefeita de Cristal, Fábia Richter
Por: Kevin Oswaldt / Acústica FM Foto: Divulgação
Falta de verba para amenizar estiagem provoca imbróglio entre prefeitos e Defesa Civil

Os municípios gaúchos que sofrem com problemas de estiagem e que tiveram seus decretos de emergência homologados estão encontrando problemas para acessar o auxílio por parte do Estado. O problema ocorre porque os municípios não teriam completado todas as informações no sistema da Defesa Civil estadual. Na manhã desta segunda-feira (12), a Acústica FM ouviu as partes, representadas pelo coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Alexandre Martins de Lima, e pela prefeita de Cristal, Fábia Richter.

Martins defende a posição do órgão e alega que os municípios não estão dando todas as informações necessárias para que a verba seja repassada: “Nos chamou a atenção a demora dos municípios, porque o ano passado fizemos workshops em todas as regiões (sobre o sistema), então não encontro uma explicação adequada para que essas solicitações não venham”, explicou. De acordo com ele, casos de entidade são mais complexos que tempestades, por exemplo: “precisamos de laudos que comprovem que o município foi afetado”, destacou o tenente coronel.

Já para Fábia Richter, prefeita de um dos municípios mais afetados pela estiagem, as informações da Defesa Civil são desencontradas: “Eu gostaria que alguém nos dissesse onde é o lugar nessa plataforma que nós pudéssemos realmente colocar o plano de trabalho”, cobrou. A gestora também rebateu a opinião de Martins que, segundo ela, minimizou a falta de água para animais e agricultura: “A Defesa Civil está muito longe da realidade dos municípios, a gente que vive no mundo real sabe o quanto os agricultores sofrem, adoecem, inclusive a maior quantidade de suicídio ocorrem nessas regiões afetadas”, defendeu a prefeita.

Deixar um comentário