11/10/2017 15h06 - Atualizado em 11/10/2017 15h10

Profissionais esclarecem sobre atendimento de ambulâncias em Camaquã

Liliane Aguiar, do Samu local, e Patrícia Cardoso, da Central de Ambulâncias, participaram do Primeira Hora
Por: Kevin Oswaldt / Acústica FM Fotos: Rodrigo Vicente / Acústica FM
Profissionais esclarecem sobre atendimento de ambulâncias em Camaquã

O atendimento de ambulâncias em Camaquã foi pauta do programa Primeira Hora, transmitido na manhã desta quarta-feira (11). Para falar sobre o tema, foram convidadas Liliane Aguiar, responsável pelo ponto do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no município, e Patrícia Cardoso, responsável pela Central de Ambulâncias, da prefeitura municipal de Camaquã

Patrícia explicou que a central presta serviços à comunidade de transporte de pacientes, para Porto Alegre ou outros municípios, se necessário. O alvo do serviço são pacientes que não podem ser deslocados de carro: “O serviço pode ser agendado pelo próprio paciente ou qualquer familiar”, destacou. A central contém tem uma estrutura com quatro ambulâncias simples para transporte e mais uma UTI móvel.

No programa, a profissional também apresentou alguns dados do serviço, destacando que são realizados entre 600 e 700 atendimentos por mês. Patrícia também explicou que são agendadas cerca de 200 viagens mensais. A central também busca pacientes residentes no interior para atendimentos no município.

Já Liliane é responsável pelo Samu local. De acordo com ela todas as ligações para o telefone 192 são direcionadas para Porto Alegre, onde cerca de 20 atendentes realizam uma triagem inicial antes de passar para os médicos: “Geralmente atendem entre dois e seis médicos, por isso às vezes pode demorar”, explicou. A profissional orienta que o paciente espere toda a gravação e mantenha a calma.

Liliane também destacou que a ligação precisa ser feita do local do acidente: “Não é possível que o comunicante apenas esteja passando pelo local, pois tem que dar as informações, dizer como estão as vítimas”, explicou. Ela também deixou claro que as chamadas precisam ser realizadas apenas através do 192.

A entrevista completa com todas as informações pode ser ouvida abaixo:

 

Deixar um comentário