17/02/2017 14h18 - Atualizado em 17/02/2017 14h18

Padaria do Presídio de Camaquã produz mais de 850 pães por dia

Fabricação é fruto de parceria entre a Susepe e uma empresa privada
Por: Caroline Paiva / Imprensa Susepe Foto: Caroline Paiva/Imprensa Susepe
Padaria do Presídio de Camaquã produz mais de 850 pães por dia

Logo cedo da manhã, às 6h, já é possível sentir o cheirinho de pão assando dentro das dependências do Presídio Estadual de Camaquã, na Região Sul do estado. Depois, às 14h, a ação se repete. Estes são os horários em que as fornadas começam a ser produzidas para alimentar servidores e apenados da casa prisional.

A padaria funciona por meio de um convênio da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e a empresa Arnaldo Raniele e proporciona a fabricação de mais de 850 pães por dia. A empresa fornece os materiais necessários, como o forno, o freezer e os pães congelados, mas a produção fica por conta de um dos detentos do presídio.

O apenado responsável pela padaria cumpre pena no Anexo Semiaberto do estabelecimento e recebe remuneração de 75% do salário mínimo (cerca de R$ 700) pelo trabalho. O alimento é entregue para todo o presídio, que possui atualmente mais de 300 homens recolhidos.

Segundo o preso L. G., o ofício da padaria foi aprendido com outro preso, que já está em liberdade, antigamente responsável pelo trabalho. Ele descongela e assa os pães, cuidando para não "passar o ponto. Inicio o trabalho cedo, pois é preciso atender a toda a cadeia, então são feitas várias fornadas durante o dia", explica.

Deixar um comentário